Mais uma derrota! Cruzeiro é condenado a pagar "bolada" a ex-atleta após descumprimento de acordo

Fabio Utz
Pedro Vilela/Getty Images
facebooktwitterreddit

O Cruzeiro perdeu mais uma batalha judicial. Desta vez, para o volante Willians. Muito embora a decisão da 39ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte ainda seja passível de recurso, o clube foi condenado, nesta quinta-feira, a pagar R$ 1,2 milhão de verbas rescisórias ao atleta, que esteve vinculado à Raposa entre 2015 e 2018.

Willians chegou ao Cruzeiro na gestão Gilvan de Pinheiro Tavares. Primeiramente, assinou contrato válido de fevereiro de 2015 a agosto de 2016, mas o mesmo foi prorrogado até janeiro de 2018 - neste meio tempo, foi emprestado a Corinthians e Goiás. Ao término do vínculo, alegou pendências trabalhistas e firmou um acordo, já na gestão Wagner Pires de Sá, através do qual a instituição se comprometia a repassar um total de R$ 956.193,85.

Apenas a primeira parcela, de R$159.368,85, foi depositada. Com isso, o jogador pediu a nulidade do acerto em questão e entrou na Justiça em maio de 2019 cobrando R$ 1,7 milhão. Após alguns pedidos, aceitou diminuir o montante. No final de setembro, houve uma audiência de conciliação, mas que terminou sem um denominador comum entre as partes.

Para mais notícias do Cruzeiro, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit