Vasco da Gama

Luxa no Vasco: Tem projeto, ou somente uma salvação?

Pedro José Domingues
Vasco v Palmeiras - Brasileirao Series A 2019
Vasco v Palmeiras - Brasileirao Series A 2019 / Wagner Meier/Getty Images
facebooktwitterreddit

Na última semana, o Vasco da Gama anunciou em suas redes sociais o retorno do técnico Vanderlei Luxemburgo, após a demissão do português Ricardo Sá Pinto e a recusa de Zé Ricardo. Junto com Luxa, o auxiliar Mauricio Copertino e os preparadores físicos Antônio Melo e Daniel Félix chegam para integrar a nova comissão técnica do cruzmaltino.

A contratação de Luxemburgo passa a impressão de única e exclusivamente salvar o Vasco de um novo rebaixamento. O vínculo do experiente treinador com o Club é válido até o final do Campeonato Brasileiro, e sem alguma remuneração para o treinador - por opção dele -, que vê sua segunda passagem no clube carioca como uma convocação, e não como um convite.

FBL-BRAZIL-FLAMENGO-VASCO
FBL-BRAZIL-FLAMENGO-VASCO / MAURO PIMENTEL/Getty Images

No entanto, foi acordado em seu novo contrato o direito a um bônus caso o Vasco permaneça na elite do futebol brasileiro. Em comunicado oficial do clube, o treinador foi contratado para enfocar completamente no cumprimento das metas esportivas do Club na competição nacional.

A expectativa de uma melhora significativa na forma do Vasco de jogar, ou a implantação de um novo modelo de jogo, porém, não é tão alta. A chegada de Luxemburgo vem para tampar buracos feitos pelos péssimos trabalhos feitos por Abel Braga, no início de 2020, e pelo português Ricardo Sá Pinto, que teve um desempenho bem ruim à frente da equipe.

Luxa deve e com certeza vai fazer o básico para o clube sair da zona de rebaixamento, com jogadores de confiança e experiência aliados à juventude da base. Foi assim na sua última passagem pelo Vasco, com um bom desempenho na reta final do Brasileirão e o surgimento de jovens jogadores como Talles Magno.

É claro que a cobrança dentro do vestiário e nos treinos por um jogo de mais intensidade vai acontecer. Algo típico de Luxemburgo, por toda a sua história no futebol brasileiro, e que incentiva seus jogadores.

No Palmeiras, teve bons resultados, mas não tinha modelo de jogo definido nem boas atuações. O ponto positivo de sua passagem no Alviverde foi única e exclusivamente o trabalho de integração da base com o profissional. Patrick de Paula, Wesley, Danilo, Menino e entre outros garotos que se destacaram na base do Verdão tiveram chances nos profissionais, e hoje são peças importantíssimas no bom começo de Abel Ferreira no comando do time.

Essa segunda passagem de Luxemburgo no Vasco é para acertar as arestas, e manter o clube na elite. Para a próxima temporada, a permanência do treinador para montar o elenco e começar desde o início é algo mais complicado, visto o atual momento da carreira de Luxa. "Pojeto" de curto prazo, para um longo prazo de tranquilidade.

facebooktwitterreddit