Copa Libertadores

Libertadores: Flamengo domina o Corinthians e quebra invencibilidade de 21 jogos em Itaquera

Bia Palumbo
Flamengo de Gabigol encaminhou vaga à semifinal com vitória tranquila na Neo Química Arena
Flamengo de Gabigol encaminhou vaga à semifinal com vitória tranquila na Neo Química Arena / MIGUEL SCHINCARIOL/GettyImages
facebooktwitterreddit

Corinthians e Flamengo protagonizaram um dos duelos mais esperados das quartas de final da Libertadores 2022 nesta terça (2) na Neo Química Arena. Com um gol em cada tempo, Arrascaeta e Gabigol construíram o 2 a 0, a primeira derrota alvinegra em casa desde fevereiro, quando ainda tinha Sylvinho no comando técnico.

O torcedor rubro-negro ainda teve a sensação de que o placar poderia ser ainda mais elástico tanto pelo volume de jogo quanto pela falta de criatividade do rival, que mal incomodou o goleiro Santos. A decisão da vaga é na próxima terça (9) no Maracanã e o rubro-negro pode perder por até um gol de diferença que estará na semifinal.

Dorival Jr escalou o time que o flamenguista já decorou e tanto o entrosamento quanto a qualidade técnica fizeram a diferença, principalmente o toque de classe do uruguaio e o faro artilheiro de Gabigol.

Como de costume, Vítor Pereira mexeu no time em relação ao jogo anterior, porém a lesão de Maycon logo no início atrapalhou os planos do treinador português, que manteve o esquema com três meio-campistas de marcação colocando o recém-contratado Fausto Vera e só usou um jogador com características mais ofensivas quando substituiu no intervalo.

Giuliano e Róger Guedes voltaram para o segundo tempo, mas nenhum dos dois conseguiu contribuir de forma efetiva para o alvinegro esboçar uma reação. O jovem Giovane também foi acionado e as opções ofensivas terminaram aí, enquanto o Fla teve Everton Cebolinha nos instantes finais.

Ao todo foram 26 finalizações, sendo 14 do time da casa e cinco chutes a gol para cada lado, porém as bolas que chegaram na direção da meta de Santos não levaram o mesmo perigo do que as que Cássio precisou salvar para evitar uma derrota ainda pior. E ele ainda contou com a ajuda de seus companheiros de defesa, como o uruguaio Bruno Méndez.

facebooktwitterreddit