Copa Libertadores

Libertadores: de forma inédita, apenas times de Brasil e Argentina participarão das quartas de final da copa

Antonio Mota
Brasil e Argentina serão os únicos países representados nas quartas de final da Libertadores.
Brasil e Argentina serão os únicos países representados nas quartas de final da Libertadores. / Amilcar Orfali/GettyImages
facebooktwitterreddit

As quartas de final da Conmebol Libertadores de 2022 contarão com equipes de apenas dois países: Brasil e Argentina, algo inédito na história da competição. Até o momento, Athletico-PR, Atlético-MG, Corinthians, Flamengo e Palmeiras já garantiram vaga na próxima etapa da copa, assim como os hermanos Talleres e o Vélez Sarsfield. A última vaga será definida nesta quinta-feira, 7, no duelo entre Estudiantes-ARG e Fortaleza.

De acordo com informações do site “ge”, nunca na história da Libertadores, que começou em 1960 e está na 62ª edição, apenas dois países marcaram presença na fase de quartas de final do torneio. A nova marca realça o desequilíbrio de forças no futebol do continente e reforça tendência dos últimos anos de duopólio argentino-brasileiro na América do Sul.

Flamengo avança às quartas de final da Libertadores
Com show de Pedro, Flamengo vence o Tolimae acaba com chances de um time fora de Brasil e Argentina participar das quartas de final da Libertadores. / Buda Mendes/GettyImages

Prova disso, aliás, é que o Barcelona de Guayaquil, do Equador, foi o único time fora de Brasil e Argentina que conseguiu assegurar uma “vaguinha” entre os semifinalistas da Libertadores nos últimos cinco anos. A equipe conseguiu tal feito em 2017 e 2021. Agora, essa predominância das equipes argentinas e brasileiras no continente ficou ainda mais evidente, com os últimos oito sobreviventes da copa sendo desses países.

Há poucos anos, em 2018, Brasil e Argentina quase dominaram as quartas de final da Libertadores, mas o Colo-Colo, do Chile, eliminou o Corinthians nas oitavas e atrasou o duopólio argentino-brasileiro no continente. A soberania desses países, cabe notar, é algo que cresceu assustadoramente nos últimos anos. Em 2016, por exemplo, seis nações foram representadas nas quartas de final da Libertadores: Argentina (Rosário Central e Boca Juniors), Brasil (Atlético-MG e São Paulo), Colômbia (Atlético Nacional), Equador (Independiente del Valle), México (Pumas) e Uruguai (Nacional). Inclusive, essa foi a última vez em que um time fora do “eixo” Argentina-Brasil alcançou a Glória Eterna: o Atlético Nacional. É a Libertadores, de olho no dinheiro, com cara de Torneio Brasil-Argentina.

facebooktwitterreddit