Flamengo

Landim é denunciado por lavagem de dinheiro; rombo em administração de fundos de pensão ultrapassa R$ 100 milhões

Fabio Utz
Presidente do Flamengo foi nomeado como interventor da  CBF
Presidente do Flamengo foi nomeado como interventor da CBF / Wagner Meier/Getty Images
facebooktwitterreddit

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, está na mira da Justiça. Dentro da chamada Operação Greenfield do Ministério Público Federal, ele foi denunciado por gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. No entanto, é bom que se diga: o clube não está envolvido nisso.

Ele e Nelson José Guitti Guimarães, Demian Fiocca, Geoffrey David Cleaver e Gustavo Henrique Lins Peixoto - representantes das empresas Mare e Mantiq - são acusados de terem lesado os fundos de pensão Funcef, Petros e Previ através da remessa ilícita de dinheiro para o exterior. Foram criadas duas empresas de fachada, que serviam como ponte para o repasse da grana à norte-americana Deepflex. Esta, no entanto, faliu, o que fez sumir todo o montante.

Conforme apuração, o rombo supera os R$ 100 milhões, e o pedido é que Landim e companhia paguem o triplo, afora correção. O esquema teria funcionado entre 2011 e 2016, e a pena, em caso de condenação, varia de três a 12 anos de detenção. Lembrando que, na segunda-feira, o mandatário rubro-negro foi nomeado como interventor da CBF.

Para mais notícias do Flamengo, clique aqui.

facebooktwitterreddit