Futebol brasileiro

Justiça concede liberdade provisória ao zagueiro Renan mediante fiança de R$ 242 mil

Lucas Humberto
Zagueiro de 20 anos emprestado do Palmeiras ao RB Bragantino se envolveu em um acidente com vítima
Zagueiro de 20 anos emprestado do Palmeiras ao RB Bragantino se envolveu em um acidente com vítima / Jam Media/GettyImages
facebooktwitterreddit

A Justiça concedeu liberdade provisória a Renan, zagueiro do Red Bull Bragantino, acusado de atropelar e matar um motociclista na manhã desta sexta-feira, 22, em Bragança Paulista. Em audiência de custódia realizada neste sábado, 23, o juiz Fábio Camargo anunciou a decisão e as punições ao jogador.

Segundo apuração do repórter Lucas Rangel, da TV Vanguarda, Renan terá de pagar uma fiança de 200 salários mínimos, ou seja, R$ 242 mil, além da necessidade de comparecer em todas as etapas do processo. Ele também terá de entregar seu passaporte à Polícia Federal e está proibido de frequentar bares e casas de shows.

Aos 20 anos, o defensor vai responder por homicídio culposo na direção de veículo automotor - quando não há intenção de matar - com dois agravantes: a influência de álcool e o fato dele não ser habilitado para dirigir. Durante o período de permissão da CNH, Renan cometeu uma infração grave e, portanto, perdeu a habilitação.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, a pena inicial para o crime descrito é de dois a quatro anos. Contudo, devido aos agravantes, o atleta pode pegar até uma década. Vale lembrar que, no momento da prisão, os policiais que atenderam a ocorrência disseram que o zagueiro deu sinais de embriaguez, mas se recusou a realizar o teste do bafômetro.

Segundo informações preliminares, o acidente aconteceu na altura do Km 47 da Rodovia Alkindar Monteiro Junqueira. Na ocasião, o veículo conduzido pelo defensor invadiu a faixa contrária e bateu de frente em uma motocicleta. Eliezer Pena, de 38 anos, morreu no local. Tanto Red Bull Bragantino quanto Palmeiras querem rescindir o contrato com o jogador.

"Concedida a liberdade provisória, mediante o recolhimento de fiança, no valor de 200 salários-mínimos; além do compromisso de comparecer a todos os atos do processo, quando convocado, mantendo endereço atualizado nos autos; proibição de frequentar bares, prostíbulos e casas de show; proibição de se ausentar da Comarca, sem autorização judicial; e, obrigação de entregar seu passaporte à Polícia Federal, no prazo de 72 horas; tudo sob pena de revogação do benefício"

Justiça através de comunicado
facebooktwitterreddit