Copa Libertadores

Imprensa argentina detona arbitragem em queda do Boca Juniors para o Galo: 'Escandalosa'

Nathália Almeida
Boca teve dois gols anulados na eliminatória
Boca teve dois gols anulados na eliminatória / Pool/Getty Images
facebooktwitterreddit

Uma eliminatória que renderá debate e reclamações por longas e longas semanas. Assim podemos definir o confronto entre Atlético-MG e Boca Juniors, decidido na noite desta terça-feira (20): após 0 a 0 no placar agregado após 180 minutos de futebol, a equipe mineira venceu nas penalidades por 3 a 1, sendo o primeiro clube a carimbar o passaporte rumo às quartas de final da Conmebol Libertadores.

A partida de ida em Buenos Aires já havia sido polêmica, devido a um gol do Boca Juniors anulado de maneira controversa, lance que incomodou a imprensa local e irritou ainda mais os jogadores xeneizes. Mas toda a reclamação do gigante argentino não impediu que algo bastante semelhante acontecesse nesta noite, em Belo Horizonte: gol de Marcelo Weigandt, na segunda etapa, sendo anulado por impedimento milimétrico na origem da jogada. Melhor para o Galo, que apesar de não ter jogado bem nas duas partidas, conquistou sua classificação graças a uma atuação heroica do goleiro Everson nas penalidades.

Esteban Ostojich
Árbitro uruguaio, Esteban Ostojich, anulou gol do Boca em Belo Horizonte / Pool/Getty Images

Imprensa argentina detona arbitragem

A manchete de capa de todos os jornais esportivos da Argentina não poderia ter outro protagonista se não o árbitro uruguaio, Esteban Ostojich, responsável por anular do tento que poderia ter classificado o Boca às quartas. O jornal 'Olé', um dos mais tradicionais do país, rasgou o verbo:

"Escandalosa eliminação do Boca Juniors. O VAR voltou a prejudicá-lo nesta noite, lhe retirando um gol legado e forçando as penalidades, onde perdeu por 3 a 1. Merecia muito mais, mas não lhe permitiram melhor sorte"

'Olé', após a partida contra o Galo
facebooktwitterreddit