Futebol Feminino

Identidade clara e novas estrelas: conheça o Bayern Feminino, 'azarão' temido nas quartas da Champions

Nathália Almeida
Bayern conta com uma equipe forte e bem treinada
Bayern conta com uma equipe forte e bem treinada / Adam Pretty/GettyImages
facebooktwitterreddit

Na próxima terça, 22 de março, a bola vai rolar para os primeiros confrontos válidos pelas quartas de final da Champions League Feminina. Cada vez mais organizado e democrático, o maior torneio de clubes do futebol feminino europeu vive uma de suas edições mais prestigiadas, por diversas razões: mais participantes, maior visibilidade, mais estrelas em campo e mais times competitivos capazes de sonhar com a conquista da taça continental. E é nessa descrição que o Bayern de Munique se encaixa, mesmo que seu nome ainda não povoe os palpites populares de quem será o grande campeão nesta temporada 2021/22.

É compreensível que o time bávaro não seja o mais cotado à conquista desta Champions Feminina mas, ao mesmo tempo, trata-se de um adversário que pode e deve causar muitos problemas ao tradicional PSG, seu adversário nas quartas de final. Quer saber os motivos para confiarmos tanto no potencial deste Bayern Frauen? A seguir, contamos um pouquinho da história da equipe, seus pontos fortes e principais destaques que podem levar o esquadrão bem longe nesta WCL:


Pioneirismo, baixa e reconstrução: Bayern Frauen, uma história não-linear

Fundado oficialmente em 1970, o time feminino do Bayern de Munique conviveu com inúmeras idas e vindas, ou seja, se habituou ao processo de reconstrução e à necessidade de saber se reinventar ao longo dos anos. Seus primeiros títulos nacionais datam da própria década de 70 e, em termos de estruturação da modalidade em solo alemão, o clube bávaro desempenhou papel bem importante de pioneirismo, sendo um dos membros-fundadores da Bundesliga Feminina em 1990.

Acontece que, mesmo em se tratando de uma marca valiosíssima há longa data e com uma base de fãs global, o Bayern de Munique não foi uma exceção ao padrão que conhecemos quando o assunto é futebol feminino: períodos de pouco investimento e certa negligência ao projeto culminaram em rebaixamentos, longa seca de títulos de "primeira prateleira" e status de coadjuvante nacional. Este cenário permaneceria por muito tempo, até uma mudança de rumos, semeada no início dos anos 2000, começar a render frutos valiosos ao clube a partir da década de 2010.

Nos últimos dez anos, o time bávaro conquistou três edições da Bundesliga Feminina, incluindo a da temporada passada (2020/21), equilibrando o que até então era um domínio avassalador de seu rival Wolfsburg. Com maiores investimentos, maior engajamento de seu torcedor, novas aquisições para o elenco e longo prazo nas decisões esportivas, o Bayern se reestabeleceu enquanto potência no futebol feminino alemão e vive, hoje, um momento de euforia e confiança em seu projeto. Agora, vamos conhecer suas protagonistas do presente?


Base sólida, identidade e novas estrelas: os pontos fortes

Lina Magull, Lea Schuller
Lina Magull (esq.) é uma das referências do Bayern Feminino / Johannes Simon/GettyImages

Atual campeão alemão e semifinalista da Champions Feminina passada, o Bayern de Munique aposta na continuidade para repetir o sucesso na atual temporada. Além de ter feito esforços para manter suas principais referências - Lina Magull, Linda Dallmann e Giulia Gwinn merecem citação -, o time foi ao mercado e fechou contratações importantes, com destaque para a defensora islandesa Glódís Viggósdóttir e para a volante Saki Kumagai, uma das melhores do mundo da posição, que aceitou o desafio na Baviera após longos oito anos vestindo a camisa do poderoso Lyon.

Adepto de um estilo de jogo extremamente propositivo e ofensivo, o Bayern Frauen dificilmente não entretém quem o vê em ação. Em relação ao ano passado, a equipe melhorou consideravelmente no aspecto defensivo, tendo sofrido apenas dez gols em 16 confrontos disputadas na atual edição da Bundesliga, melhor defesa do campeonato. Esse equilíbrio maior entre setores era uma das grandes urgências do time bávaro, afinal de contas, a eliminação para o Chelsea na semifinal da Champions 2020/21 veio através de uma dolorosa goleada: 4 a 1 em Londres, em jogo que o Bayern concedeu muitos espaços e não soube administrar a vantagem obtida na ida, quando venceu por 2 a 1.


Resumo da campanha bávara até o momento

FC Bayern Muenchen v Werder Bremen - FLYERALARM Frauen-Bundesliga
Bayern terá pedreira diante do PSG / Johannes Simon/GettyImages

O sorteio da fase de grupos não foi tão amigo do Bayern de Munique, colocando-o simplesmente na mesma chave do heptacampeão europeu, Lyon. Benfica, de Portugal, e Kopparbergs/Göteborg FC, da Suécia, completaram o Grupo D.

No campo, o time da Baviera fez um ótimo papel e não perdeu pontos naqueles duelos que sabia que precisava vencer mas, ainda assim, não conseguiu subverter o favoritismo das lionesas. O resultado acabou sendo a classificação bávara às quartas de final como segundo colocado de chave, com 13 pontos, o que rendeu um cruzamento complicado com o campeão francês, PSG.

Contudo, por tudo que foi dito anteriormente, é plenamente possível acreditar no Bayern avançando às semifinais. Se você ainda não está convencido, apresentamos os números da campanha alemã neste torneio, até aqui:

Campanha na fase de grupos
4 vitórias, 1 derrota e 1 empate - 15 gols marcados e três sofridos;

Benfica 0 x 0 Bayern (05/10)
Bayern 4 x 0 Kopparbergs/Göteborg FC (14/10)
Lyon 2 x 1 Bayern (10/11)
Bayern 1 x 0 Lyon (17/11)
Kopparbergs/Göteborg FC 1 x 5 Bayern (09/12)
Bayern 4 x 0 Benfica (15/12)

Artilheira do time: Lea Schüller e Jovana Damnjanović, ambas com 3 gols marcados
Média de gols: 2,5 gols marcados/partida | 0,5 gol sofrido/partida


Bayern de Munique e PSG inauguram as quartas de final da Champions League Feminina na próxima terça-feira (22), às 14h45 de Brasília na Allianz Arena, em Munique.

facebooktwitterreddit