Flamengo

História recente mostra que Pedro pode jogar a final da Libertadores - mas o cenário é diferente

Vitor Beloti
Pedro operou o joelho direito nesta semana
Pedro operou o joelho direito nesta semana / Buda Mendes/GettyImages
facebooktwitterreddit

Apesar de estar vivo em três competições nesta reta final de temporada, o Flamengo vive algumas turbulências e uma delas envolve a questão física. As lesões assombram diversos nomes do elenco e isso gera uma preocupação para os rubro-negros nas fases finais da Copa do Brasil e da Conmebol Libertadores.

Neste momento, após a perda de Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta, chegou a vez de Pedro virar desfalque para Renato Gaúcho. De acordo com o clube, o centroavante sofreu uma lesão no menisco e passou por uma artroscopia no joelho direito na noite da última segunda feira (25).

Os flamenguistas fazem as contas para que Pedro se recupere a tempo de estar à disposição para a final da Libertadores, diante do Palmeiras, no dia 27 de novembro. Apesar do tempo curto, a história recente pode trazer um conforto para o torcedor. Em 2019, pelo jogo de ida da semifinal da Libertadores, contra o Grêmio de Renato Portaluppi, que hoje comanda o Flamengo, o uruguaio Arrascaeta também machucou o joelho. Na época a expectativa é que ele não teria chances de voltar a tempo para entrar em campo no jogo da volta, mas ele surpreendeu e vestiu a camisa 14 na goleada por 5 a 0.

No entanto, muita coisa mudou fora de campo no Flamengo de 2019 em relação aos dias atuais. Na temporada gloriosa do clube que sagrou-se campeão brasileiro e da Libertadores, o Departamento Médico era muito elogiado por jogadores, diretores e, principalmente, pela comissão técnica do Flamengo que era capitaneada pelo português Jorge Jesus. Líderes no vestiário como Diego e Filipe Luís - que também se lesionou diante do tricolor gaúcho - sentiram na pele que o processo de recuperação foi bem sucedido e as etapas foram atingidas de forma 'milagrosa'.

Diego
Diego quebrou o tornozelo esquerdo em julho contra o Emelec e voltou aos gramados quase um mês antes do previsto / Franklin Jacome/GettyImages

Em comparação com este ano, a situação é completamente diferente, visto que as lesões - principalmente musculares - são mais comuns entre os jogadores e o tempo de retorno é maior que o esperado. Além disso, o próprio técnico Renato Gaúcho afirmou que alguns atletas entraram em campo sem estar 100% fisicamente, o que torna mais um prejuízo durante as duras sequências que o rubro-negro possui no restante da temporada. Por conta disso, as críticas sobre o processo de recuperação dos atletas são mais constantes em 2021 e o diagnóstico de Pedro colocou ainda mais lenha na fogueira.

facebooktwitterreddit