Futebol Internacional

Guerra faz Uefa oficializar mudança de sede da final da Champions e impor restrições a times e seleções

Fabio Utz
Decisão continental acontecerá no Stade de France, em Paris
Decisão continental acontecerá no Stade de France, em Paris / GABRIEL BOUYS/GettyImages
facebooktwitterreddit

A invasão da Rússia à Ucrânia já tem reflexos, também, no futebol. Nesta sexta-feira, a Uefa decidiu retirar a final da Champions League 2021/2022 de São Petersburgo e levá-la para Paris, na França. A data está mantida: 28 de maio.

Emmanuel Macron França Uefa Final Decisão Champions League
França, de Emmanuel Macron, abriu as portas para a decisão / Thierry Monasse/GettyImages

A capital francesa volta a sediar a decisão da competição mais prestigiada do continente após mais de uma década. O próprio Stade de France foi palco do duelo entre Barcelona - à época com Ronaldinho Gaúcho - e Arsenal na final de 2005/2006.

Com isso, a cidade russa perde pela segunda vez a oportunidade de receber o evento. Ela tinha sido escolhida para a decisão da edição 2020/2021, mas a pandemia alterou completamente o calendário europeu.

"A Uefa gostaria de expressar seu agradecimento ao presidente da França, Emmanuel Macron, pelo apoio pessoal e comprometimento para que o jogo de clubes mais prestigiado da Europa fosse movido para a França neste tempo de crise sem paralelos."

Comunicado da Uefa.

IMPACTO EM CLUBES E SELEÇÕES

A guerra no leste europeu também impacta campeonatos locais e duelos entre países. Até segunda ordem, segundo a Uefa, clubes da Rússia e da Ucrânia, assim como as seleções envolvidas em competições continentais, terão que mandar seus jogos em estádios neutros.

facebooktwitterreddit