Brasileirao Série A

Goiás reclama após árbitro voltar atrás em gol anulado do Flamengo: "Fomos prejudicados"

Bia Palumbo
Flamengo evitou derrota, mas viu aumentar a diferença para o líder Palmeiras
Flamengo evitou derrota, mas viu aumentar a diferença para o líder Palmeiras / Heber Gomes/AGIF/Gazeta Press
facebooktwitterreddit

Goiás e Flamengo empataram em 1 a 1 neste domingo (11) no Estádio da Serrinha, em Goiânia, um jogo morno decidido nos últimos dez minutos.

Dorival Jr escalou um time alternativo visando o segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil diante do São Paulo na próxima quarta-feira (14). Sem Gabigol nem Pedro, suspensos, apenas dois titulares começaram a partida: o goleiro Santos e o meio-campista Everton Ribeiro.

O Esmeraldino largou na frente com Dieguinho, em jogada com assistência de Pedro Raul aos 35 do segundo tempo, porém a vantagem durou menos de cinco minutos. O Fla colocou alguns titulares em campo, como Arrascaeta, João Gomes e Rodinei.

Duas peças que saíram do banco fizeram a diferença. Arrascaeta cruzou, Léo Pereira dividiu com o goleiro Tadeu, a bola ficou viva na área e Matheus França deixou tudo igual.

"Não tem polêmica. Foi falta, claramente o cara cabeceou a minha mão. Essa regra eu não conheço. Se tivesse falhado não teria problema nenhum em assumir, mas hoje foram eles que erraram. O árbitro falou que apitou a falta e estava esperando a checagem. É difícil, porque a gente fez um grande jogo, um belo gol, merecíamos ter ganhado, e ser prejudicado dessa forma é complicado. O árbitro foi pressionado na volta do intervalo e o cidadão do VAR a gente já conhece."

Tadeu, goleiro do Goiás

"Depois que eu toquei na bola a luva dele tocou na minha cabeça. Eu nem trombei com ele, fui parar até dentro do gol, mas o VAR checou, tem que confiar nele como sempre a gente vem fazendo."

Léo Pereira, zagueiro do Flamengo
facebooktwitterreddit