Ferj cobra Globo na Justiça, exige repasse milionário e faz acusações graves à emissora

TOPSHOT-FBL-BRAZIL-FLAMENGO-FLUMINENSE
CARL DE SOUZA/Getty Images

Foi no dia 2 de julho que a Globo anunciou a rescisão unilateral do contrato de transmissão do Campeonato Carioca, que iria até 2024. Essa decisão foi motivada pelo fato de o Flamengo, que não tinha acordo com a empresa, começar a veicular partidas em que era mandante no seu canal do Youtube, a FlaTV, baseado na MP 984/2020. Com isso, a emissora acusou a Federação Carioca de Futebol de não garantir a exclusividade do torneio, algo que era previsto, e rompeu o vínculo. Pois agora a entidade que comanda o esporte no Rio de Janeiro cobra R$ 17.269.105,60 milhões na Justiça.

Quando houve o litígio, a Globo informou que repassaria os valores faltantes referentes a 2020, como lembra o blog do Rodrigo Mattos. Logo em seguida, porém, enviou um documento à federação exigindo a quitação plena do contrato para que houvesse o pagamento, o que não foi aceito. Com isso, em 24 de julho, teve início a ação. O montante pedido é referente à última parcela do Carioca, que deveria ser depositada cinco dias antes da final da competição. A Ferj afirma que a Globo cometeu "inadimplemento voluntário por tentativa de coação" ao exigir o pagamento em troca da quitação do contrato. Assim, solicita arresto e custódia judicial do valor, ou seja, o mesmo ficaria retido em juízo até uma tomada de decisão.

Na visão da federação, a Globo age de "má fé na execução do contrato" e estaria com problemas financeiros. "Há fundado temor que no decurso do processo o requerido não tenha patrimônio suficiente para suportar o ressarcimento de R$ 17.291.105,60", alega. A emissora, procurada, diz que não comenta casos que está sub judice.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.