Futebol Internacional

Fair play financeiro: UEFA analisa regras mais severas e coloca rebaixamento em pauta

Matheus Nunes
PSG é um dos clubes que mais sofre para equilibrar as finanças
PSG é um dos clubes que mais sofre para equilibrar as finanças / Catherine Steenkeste/GettyImages
facebooktwitterreddit

Enquanto os principais jogadores se concentram na data Fifa, dirigentes do futebol europeu conversam sobre novas regras relacionadas ao fair play financeiro. A tendência é que as mudanças sejam anunciadas pela UEFA no próximo dia 7 de abril e uma das punições previstas envolve o rebaixamento do clube que desobedecerem os termos.

O presidente do PSG e da Associação de Clubes Europeus (ECA), Nasser Al-Khelaifi, participou de uma assembleia geral nesta segunda-feira (28) para avaliar o que está por vir.

"Estas novas regras visam assegurar um melhor controle de custos, ao mesmo tempo que incentivam os investimentos que irão garantir o futuro do futebol. Aguardamos a implementação do novo sistema em breve."

Nasser Al-Khelaifi, dono do PSG

De acordo com o The New York Times, uma das regras está relacionada ao controle de prejuízo. Os clubes poderiam ter um déficit de 30 milhões de euros, acumulado por até três anos, sem contar as despesas com as categorias de base, futebol feminino e infraestrutura. O novo sistema prevê um novo limite de 60 milhões, porém somados todos os gastos.

O novo teto salarial adotado pela Uefa será avaliado por quanto cada clube arrecada. O gasto será gradativo, começando com 90% das receitas em 2023 e, em 2024, 80%. Em 2025, os valores não poderão passar de 70%.

A nova regra em relação as dívidas promete ser mais rigorosa. A cada ano, os times que estiverem com pendências financeiras terão que reduzir em 10% do valor que estão devendo. Além de multas e perdas de pontos, o descumprimento das determinações pode ocasionar até em consequências esportivas como por exemplo a retirada do clube da Champions League.

facebooktwitterreddit