Eventual eliminação para o Boca, somada à Copa do Brasil, pode fazer Inter acumular quase 25% a mais de déficit

Fabio Utz
Alexandre Schneider/Getty Images
facebooktwitterreddit

Não é invenção nem chute. Está lá, no orçamento: o Internacional planejou suas finanças para 2020 projetando chegar, ao menos, na semifinal da Copa do Brasil. Não conseguiu. Ou seja, se a estimativa já era de um déficit de R$ 63 milhões, este número, agora, tende a aumentar.

Logo após a eliminação para o América-MG, nesta quarta-feira, o presidente Marcelo Medeiros foi questionado sobre o tema e disse que é preciso criatividade para se encontrar novas receitas que possam ajudar a cobrir este rombo. Porém, como ele mesmo salientou, em relação à premiação que deixou de ser recebida, "R$ 7 milhões são R$ 7 milhões, algo importante para qualquer clube".

O dirigente, que cumpre gestão somente até o final da temporada, preferiu não jogar a toalha a respeito das possibilidades coloradas daqui em diante. Reiterou que o time segue vivo no Campeonato Brasileiro e que, na próxima semana, inicia um duelo de oitavas de final da Libertadores contra o Boca Juniors-ARG. É fato, no entanto, que nova queda também terá impacto nos cofres, já que os números atuais foram calculados tomando por base uma ida, no mínimo, até a etapa seguinte da competição continental, que garante um aporte de mais US$ 1,5 milhão (R$ 7,98 milhões na cotação atual). Ou seja, em questão de 15 dias - o jogo de volta, na Argentina, ocorre em 02 de dezembro -, o Inter pode se ver sem praticamente R$ 15 milhões com os quais contava.

Para mais notícias o Internacional, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit