E se os times brasileiros fossem seleções?

Redação 90min
Se Flamengo fosse seleção, qual seria?
Se Flamengo fosse seleção, qual seria? / Wagner Meier/Getty Images
facebooktwitterreddit

Como você já deve ter percebido, nós do 90min adoramos exercitar realidades paralelas, projetar o improvável e fazer exercícios hipotéticos curiosos.

Hoje, pensamos especificamente sobre equipes do futebol brasileiro enquanto seleções do futebol mundial: qual escrete seria o Palmeiras? E o Flamengo?

Tentamos encontrar similaridades históricas (desempenho/alcance/ídolos) e fechamos nessa lista. Confira como ficou:


Corinthians = Espanha

Iker Casillas
Espanha se transformou em potência do futebol neste milênio / Angel Martinez/Getty Images

O Corinthians sempre teve uma camisa tradicional, assim como a Fúria, mas ambos só conseguiram transformar isso em títulos/dominância neste século.

O Timão é um dos clubes mais vitoriosos do Brasil neste milênio - somou títulos estaduais, nacionais, continentais e até Mundial nos últimos 20 anos -, ao passo que a Espanha, alavancada por sua espetacular "Geração de Ouro", ganhou duas Eurocopas e uma Copa do Mundo.


São Paulo = Brasil

Ronaldo
Seleção Brasileira está devendo um título de peso desde 2002 / Odd Andersen/Getty Images

A coleção de troféus de ambos fala por si só e não tem quem não respeite essas camisas. No futebol brasileiro, ninguém tem mais títulos mundiais que o Tricolor Paulista, ao passo que a Canarinho segue como maior do mundo em estrelas, sendo a única pentacampeã.

Contudo, outra coisa que aproxima esses dois é o fato de estarem devendo uma conquista de peso há tempos: tudo que a Seleção faturou a Copa América de 2019, mas não conquista a Copa desde 2002. O Soberano, por sua vez, não ergue um troféu qualquer desde 2012.


Santos = Uruguai

Uruguay v Paraguay - Copa America 2011 Final
Celeste Olímpica é respeitada sempre, independente da fase / LatinContent/Getty Images

Santos e Uruguai se parecem muito por múltiplos motivos: camisa de peso, respeito mundial, passado amplamente glorioso e, independente do período, sempre dificultam a vida de seus rivais. Nunca são adversários fáceis de serem superados.

Passam por um momento de "entressafra" de referências/resultados, e suas últimas conquistas históricas de peso datam de 2011, ano da última Libertadores alvinegra e da última Copa América da Celeste.


Vasco = Argentina

FBL-WC-2014-MATCH64-GER-ARG
Argentina vem sofrendo com vários vice-campeonatos / GABRIEL BOUYS/Getty Images

Os anos 2000 têm sido de enormes frustrações para a Albiceleste e para o povo argentino. Apesar de contarem com o melhor jogador do mundo, Lionel Messi, a AFA simplesmente não consegue triunfar, batendo na trave e amargando vices dolorosos nos últimos anos.

O Cruzmaltino tem uma história marcada por vice-campeonatos dolorosos também, ao ponto de ter recebido essa alcunha de seus arquirrivais. E não precisamos nem reforçar como as últimas duas décadas do Gigante da Colina foram sofríveis, né?

Potências em decadência.


Grêmio = Alemanha

FIFA World Cup final - "Germany v Argentina"
Alemanha é tetracampeã mundial e muito 'copeira' / VI-Images/Getty Images

Disciplina, mentalidade vencedora e uma essencial reconstrução no início do século para retomar o sucesso e o período de glórias. Essas são algumas similaridades entre a Alemanha e o Grêmio.

A derrota na decisão da Copa do Mundo de 2002 doeu demais nos germânicos, que usaram aquela frustração para promover uma verdadeira revolução em seu futebol. Maiores investimentos na base e projeto a longo prazo foram iniciados, e em 2014 veio o grande fruto: o tetra no Maracanã.

O Tricolor também precisou passar por uma reestruturação grande após ser rebaixado em 2004, e hoje, com títulos recentes de Libertadores e Copa do Brasil, tornou a ser um dos clubes mais respeitados nos jogos eliminatórios.


Flamengo = França

Kylian Mbappe
França é a atual campeã e seleção mais forte do mundo hoje / Fred Lee/Getty Images

A França emplacou a primeira grande conquista de sua história liderada por ídolo que carimbou seu nome da história do esporte como um dos maiores de todos os tempos: Zidane. O Flamengo tem uma história parecida com Zico, o grande nome da primeira 'era de ouro' do clube carioca e maior ídolo da torcida rubro-negra.

Demoraram um longo tempo para voltarem a ser protagonistas, mas são hoje, indiscutivelmente, os 'times a serem batidos' em seus campos: o Flamengo tem o melhor elenco do futebol brasileiro, ao passo que a Seleção Francesa é a melhor servida em talentos na atualidade.


Botafogo = Holanda

Arjen Robben, Robin Van Persie
Holanda é a seleção do 'quase' / Michael Steele/Getty Images

Imensas contribuições para o esporte, escretes inesquecíveis que encantaram o mundo no passado, ídolos atemporais que marcaram seus nomes na história do futebol... E uma triste sina de não conseguir conquistar títulos relevantes. Botafogo é a Holanda dos times brasileiros, sem nenhuma dúvida.


Palmeiras = Portugal

FBL-EUR2004-POR-GRE
Portugal sofreu uma grande decepção na Euro de 2004 / FRANCK FIFE/Getty Images

Gigantes, com glórias recentes, mas...sem Mundial, né....


Inglaterra = Atlético-MG

Harry Kane
Inglaterra não conquista o mundo desde 1966 / Ian MacNicol/Getty Images

É bem verdade que o Galo conseguiu amenizar a pecha de 'monotítulo' quando conquistou Libertadores (2013) e Copa do Brasil (2014), mas o fato do clube mineiro ter apenas um título brasileiro que caminha para completar 50 anos nos permite compará-lo à Inglaterra, campeã do mundo em 1966 e depois... nada.

Há, no entanto, uma luz no fim do túnel para ambos: com novos investimentos e com seu novo estádio em construção, o Galo dá sinais de que voltará a ser grande protagonista na Série A. A Inglaterra, por sua vez, tem muitos jovens talentos à disposição e vem de uma honrosa quarta posição na última Copa (2018). Será que sairão da longa fila em breve?


Athletico = Croácia

Ivan Rakitic, Luka Modric
Croácia foi vice-campeã mundial em 2018 / Quality Sport Images/Getty Images

Ninguém falava muito deles até a virada do milênio, período de alta tanto para a Croácia - terceira colocada da Copa de 1998, com sua primeira 'geração de ouro' -, quando para o Furacão, campeão brasileiro em 2001. Ambos, portanto, demoraram muito a mostrar suas 'credenciais' e se apresentar ao mundo do futebol.

Recentemente, com uma nova geração de atletas e referências, voltaram a fazer muito barulho: um vice-campeonato mundial para os croatas (2018) e dois títulos de peso para o Athletico, a Sul-Americana (2018) e a Copa do Brasil (2019). Importante destacar que ambos foram surpresas absolutas nestes feitos/campanhas.


facebooktwitterreddit