Grêmio

Dirigentes do Grêmio determinam 'última chance' de Tiago Nunes - veja declarações

Lucas Humberto
Diretoria espera vitória no próximo domingo (04), contra o Atlético-GO
Diretoria espera vitória no próximo domingo (04), contra o Atlético-GO / Pool/Getty Images
facebooktwitterreddit

A participação do Grêmio no Campeonato Brasileiro tem sido desconcertante. Até agora, são dois pontos conquistados em 18 disputados, resultado que 'isola' o Imortal na lanterna do torneio nacional. A acachapante derrota ante o Juventude, por 2 a 0, foi a 'cereja no bolo' que nenhum dos torcedores desejava. A corda bamba de Tiago Nunes ganhou limite para se romper: domingo, 4 de julho, no duelo contra o Atlético-GO. Qualquer resultado diferente de vitória, resulta na demissão do treinador.

Todo o pano de fundo da crise ficou evidente em Caxias do Sul, depois do revés desta quarta-feira (30). Houveram duas reuniões separadas: a primeira que envolveu apenas os dirigentes, e a segunda com Tiago Nunes. Na sequência, as três entrevistas coletivas mostraram bastante desgaste no cotidiano do clube.

Marcos Herrmann, vice de futebol do Grêmio, classificou o momento como chocante. "Os jogadores estão chocados. A diretoria está chocada. Comissão técnica, torcida. Mas temos qualidade aqui e temos que fazer essa qualidade se sobrepor ao momento, que é muito ruim". O Imortal perdeu para Ceará, Athletico-PR, Sport e Juventude. Os empates foram construídos diante de Santos e Fortaleza.

"Queremos um futebol convincente, elenco para isso temos. Não temos que falar muito, não tem lero lero. Temos que conseguir mais com este elenco"

Herrmann em coletiva
Grêmio Juventude Derrota Tiago Nunes
Derrota contra o Juventude ressaltou clima tenso no Grêmio / Silvio Avila/Getty Images

Romildo Bolzan Jr, presidente do Imortal, projetou a próxima partida. "O fato novo é capacidade de reação, de vencer, de superar. Esse é o fato novo. O fato novo é se vamos ter capacidade de reação ou não. Não tem mais espaço para perder, para vacilar, para ficar esperando. Ou vamos ter atitude forte ou vamos começar de novo. É assim que funcionam as coisas. Acredito muito na continuidade, acho tudo isso muito bom e necessário, acho o trabalho realizado fantástico, acredito no tempo de maturação, mas o fato novo para nós é a vitória. É a vitória. É bem simples assim. Se não foi dito com essa clareza, estou dizendo agora".

facebooktwitterreddit