Grêmio

Dirigente do Grêmio revela meta ousada para fugir do Z-4 e cobra retorno da torcida à Arena

Antonio Mota
Grêmio foi punido e, até segunda ordem, não contará com torcida nos últimos jogos do Brasileiro
Grêmio foi punido e, até segunda ordem, não contará com torcida nos últimos jogos do Brasileiro / Lucas Uebel/GettyImages
facebooktwitterreddit

O Grêmio venceu a Chapecoense por 3 a 1, na Arena Condá, na noite do último sábado (20), pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o placar, o Tricolor Gaúcho engatou o segundo triunfo consecutivo e deu sequência ao projeto para continuar na Série A em 2022: conseguir seis vitórias seguidas, alcançar os 50 pontos e não depender de outros resultados para se manter na elite nacional.

“Só com os jogos do Grêmio são cinco. Vamos disputar e fazer os 15 pontos, alcançar os 50 pontos. A grandeza do Grêmio prova que temos que vencer ou vencer. Estamos apenas cumprindo a nossa obrigação de colocar o Grêmio onde ele está. Não interessa se precisamos fazer mais 10 ou 15 pontos, vamos jogar cinco títulos mundiais e jogar cada partida”, garantiu o vice-presidente do clube, Dênis Abrahão, em entrevista coletiva após o apito final em Chapecó.  

Abrahão também falou sobre a punição que impede o Grêmio de abrir os portões da Arena para os torcedores nas últimas partidas do Campeonato Brasileiro e fez um apelo aos cartolas Luciano Hocsman, presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), e Francisco Noveletto, vice-presidente da CBF e ex-FGF. O VP do Imortal pediu para os dirigentes intervirem junto ao STJD.

“Por conta de umas 20 pessoas… já apontamos quem é, não é justo com a torcida. Por que que o Grêmio está pagando isto?”, completou. O presidente Romildo Bolzan também falou sobre o assunto: “Creio que o que está pesando mais no momento foi a questão de ter quebrado a cabine do VAR. Foi a coisa mais relevante, não teria outra justificativa”, acrescentou.

Diego Souza
O Grêmio não desiste do sonho de continuar na Série A em 2022. / Silvio Avila/GettyImages

Por fim, Bolzan comentou sobre erros da arbitragem e expôs que a Ouvidoria da CBF admitiu recentemente que houve um pênalti não marcado em favor do Grêmio na partida contra o América-MG, na 32ª rodada do Brasileirão. O cartola recordou o lance em que o goleiro do Coelho derrubou Elias:

“Se foi pênalti, nos surrupiaram uma situação de jogo que podia nos levar ao empate e levar o resultado para outro encaminhamento”, lembrou o cartola.

Lutando contra o Z-4, o Grêmio encara o Flamengo na próxima terça-feira, 23, na Arena, por partida atrasada válida pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. Por ora, o clube é o 18º colocado na tabela da liga, com 35 pontos – quatro a menos do que o Juventude, primeiro fora da zona da degola.  

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit