Futebol Internacional

Diretor do Sevilla explica decisão de vender Jules Koundé ao Barcelona e não ao Chelsea

Matheus Nunes
O zagueiro tinha acerto com os Blues, porém decidiu assinar com a equipe espanhola
O zagueiro tinha acerto com os Blues, porém decidiu assinar com a equipe espanhola / Fran Santiago/GettyImages
facebooktwitterreddit

O diretor do Sevilla, Monchi, explicou o motivo do zagueiro Jules Koundé não ter se transferido para o Chelsea. Segundo o dirigente, os Blues esfriaram as conversas para a contratação do defensor, permitindo que o Barcelona tomasse a frente e fechasse o negócio.

A clube inglês havia concordado com a taxa de transferência e tinha acerto em termos pessoais com Koundé. Esperava-se que o acordo fosse finalizado no final deste mês, porém os catalães agiram rápido, igualaram a proposta e convenceram o jogador de mudar os planos.

"Naquele cabo de guerra com o Chelsea, Mateu Alemany [diretor esportivo do Barcelona] entrou em contato comigo na segunda-feira. Depois de trabalhar os valores, chegamos a um acordo, conseguindo a venda mais importante da história do clube"

Monchi, diretor do Sevilla

Ainda segundo Monchi, outros clubes tinham interesse no zagueiro, porém apenas Barcelona e Chelsea permaneceram firmes na contratação. "O Chelsea começou a ter dúvidas, não sobre o jogador, mas sobre a maneira de abordar o mercado de reforços defensivos. A oferta deles foi boa, mas eles decidiram parar".

"O jogador, repito, estava acertado com o Chelsea na quinta-feira, com acordo de todas as partes. Mas às vezes surgem novas situações."

Monchi, diretor do Sevilla

Aos 23 anos, o craque francês estava as últimas três temporadas defendendo o Sevilla. Considerado titular absoluto, foi lá que conseguiu ser convocado para a seleção. Foram 133 jogos com a camisa do time da Andaluzia e nove gols marcados.

facebooktwitterreddit