Opinião

Diego Godín no Atlético-MG é a principal contratação entre clubes da Série A até agora

Lucas Humberto
Em termos econômicos, técnicos e de currículo, uruguaio desembarca no Brasil cercado de expectativa
Em termos econômicos, técnicos e de currículo, uruguaio desembarca no Brasil cercado de expectativa / Richard Heathcote/GettyImages
facebooktwitterreddit

Depois de tantos adeus, alguns inclusive de difícil digestão, o atual campeão brasileiro anunciou sua principal chegada até o momento: Diego Godín, que vai trabalhar com o recém-contratado técnico argentino Antonio Mohamed. De qualquer maneira, independentemente de outros acertos num futuro próximo, a chegada do uruguaio dificilmente será batida em âmbito nacional. Mineiro, então, nem se fala...

Dono de um currículo invejável, o zagueiro fez história junto ao Atlético de Madrid. Foram quase 400 jogos representando o gigante colchonero. Ainda nos gramados da Espanha, ele viveu bons momentos no Villarreal. A curta passagem pelo calcio, onde defendeu as cores da Inter de Milão e do Cagliari, encerram anos de muito mais vitórias que derrotas na Europa. Em vários sentidos.

Aos 35 anos, Diego segue representando sua seleção. Aliás, portando a braçadeira de capitão do time. Há espaços para questionar um atleta tão vitorioso assim? Claro. Fisicamente ele está longe de ser o mesmo da década passada. Tecnicamente, por outro lado, Godín sobra. Dentro das quatro linhas, o defensor nunca deixou de ser xerife.

A chegada do defensor, que por si só merece ser celebrada durante semanas, ficou ainda melhor devido aos métodos econômicos do Atlético-MG. A contratação só teve sequência após rescisão contratual entre jogador e Cagliari. Economicamente falando, o Galo não poderia estar diante de um cenário mais favorável.

As vantagens também contemplam Godín. Em baixa no exigente Campeonato Italiano, o uruguaio tem tudo para ganhar mais fôlego no Brasil. Em ano de Copa do Mundo, qualquer possibilidade de manter o alto nível deve ser agarrada.

Diego Godin Cagliari Atlético-MG
Godín despediu-se do futebol europeu com a camisa do Cagliari e antes também jogou na Inter de Milão / Enrico Locci/GettyImages

Resta saber se El Turco irá saber dosar as participações do defensor. Afinal, quando se está munido de uma carta tão poderosa assim, qualquer equívoco custa muito caro. Independente disso, o status de Godín é apenas um: melhor contratação do futebol brasileiro até agora.

facebooktwitterreddit