Futebol Feminino

Cristiane lamenta ausência em lista para os Jogos: "Passa muita coisa na cabeça"

Fabio Utz
Atacante disputaria, em Tóquio, a sua última Olimpíada
Atacante disputaria, em Tóquio, a sua última Olimpíada / Elsa/Getty Images
facebooktwitterreddit

Sem Cristiane. A lista final da seleção brasileira feminina para os Jogos Olímpicos de Tóquio, anunciada na sexta-feira pela técnica Pia Sundhage, não tem uma das principais jogadoras do país. Pois a atacante sentiu o "baque".

Através de suas redes sociais, ela se manifestou sobre a ausência naquela que seria sua última Olimpíada. "Passa muita coisa na cabeça. Meu foco, claro, sempre foi estar lá. Toda atleta profissional busca a Seleção. E essa seria minha última Olimpíada, pra fechar um ciclo como a maior artilheira de todos os tempos na modalidade- no feminino e masculino", escreveu.

Segundo Cristiane, ela estava pronta para defender o país. "São mais de 8 meses sem lesão, com parâmetros físicos superiores ao que tive em 2019 e dentro de todos os parâmetros da Seleção Brasileira. Sem isso, não seria possível dizer que estou pronta. Voando, literalmente, em todo jogo e mantendo a intensidade física. Acha que é mole dar mais de 40 sprints no jogo?", completou. No entanto, resta, a ela, torcer pelas amigas e companheiras.

O QUE DISSE CRISTIANE

Hoje deveria ter sido um dia de muita comemoração, celebração. Um dia tão importante para o futebol feminino e um dia que a expectativa era estar ali, dentro das 18 convocadas para representar o Brasil em Tóquio.

Passa muita coisa na cabeça. Meu foco, claro, sempre foi estar lá. Toda atleta profissional busca a Seleção. E essa seria minha última Olimpíada, pra fechar um ciclo como a maior artilheira de todos os tempos na modalidade- no feminino e masculino. São 14 gols, é bastante coisa, e mais do que isso, é lembrar que desde a minha 1ª participação na Seleção, em 2003, faço parte de uma geração que abriu portas para o desenvolvimento da modalidade, crescimento e profissionalização do Futebol Feminino no Brasil.

Desde 2019, voltei da China pensando em me manter bem física e mentalmente, para poder fazer o que mais amo que é jogar futebol. Fiquei 6 meses lesionada e acabei conseguindo a convocação para a Copa do Mundo com a confiança do treinador de que eu faria a diferença – ainda que com 70 minutos em campo.

Fiz 4 gols, contribui com todo meu eu, como sempre faço e sempre farei. Minha dedicação é integral, minha entrega é 100%. E sempre será. Neste ano, são mais de 8 meses sem lesão, com parâmetros físicos superiores ao que tive em 2019 e dentro de todos os parâmetros da Seleção Brasileira. Sem isso, não seria possível dizer que estou pronta. Voando, literalmente, em todo jogo e mantendo a intensidade física. Acha que é mole dar mais de 40 sprints no jogo?

Meu momento físico hoje é resultado do investimento que fiz em uma preparação física individual com o pessoal da @move2healthbr, do apoio e gestão da @sowsports e do meu empenho em estar bem e feliz fazendo o que eu amo: jogar futebol. Sigo à disposição da Seleção Brasileira e fico na torcida pelas companheiras de grupo e pelo Brasil.Sigo feliz com a minha família, e trabalhando forte pra continuar bem e ajudando o Santos no Campeonato Brasileiro - Amanhã já tem jogão ??

Agradeço a todos que me seguem e torcem por mim e aos que me enviaram mensagens. Muito obrigada pelo carinho de vcs!

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit