Fora do Campo

Corinthians e Jô sofrem condenação milionária da FIFA por rescisão em 2020; entenda

Lucas Humberto
Após acertar rescisão amigável com o Corinthians, Jô entrou num mar de polêmicas extracampo
Após acertar rescisão amigável com o Corinthians, Jô entrou num mar de polêmicas extracampo / Ricardo Moreira/GettyImages
facebooktwitterreddit

As más notícias não param de chegar ao Parque São Jorge. Corinthians e terão de pagar US$ 2,6 milhões - aproximadamente R$ 13 milhões - ao Nagoya Grampus, do Japão. A condenação da FIFA é referente à rescisão de contrato feita em 2020.

Em novembro daquele ano, a primeira condenação fixou o pagamento em torno de R$ 17 milhões. Contudo, após apelação parcialmente bem-sucedida na Corte Arbitral do Esporte (CAS), o montante caiu para R$ 13 milhões.

Jô Corinthians Nagoya Grampus
Jô não é mais atleta do Timão / Ricardo Moreira/GettyImages

Para relembrar o caso, é preciso retornar ao mês de junho de 2020. À época, o centroavante deixou a equipe asiática e, na sequência, acertou seu retorno ao Timão. Na visão do Nagoya, houve quebra unilateral de contrato sem cumprimento das normas estabelecidas no acordo. estava vinculado ao clube até 2021. Até o momento, as partes envolvidas não se manifestaram.

Por ter feito a contratação, o Corinthians assume a dívida existente sendo parte solidária, mesmo não estando diretamente envolvido na rescisão de Jô e Nagoya. Caso não efetue o pagamento, o Alvinegro sofrerá uma das piores sanções da entidade máxima do futebol: o transfer ban, ou seja, não poderá contratar ou registrar novos jogadores.

Com informações do portal TNT Sports.

facebooktwitterreddit