Contratação de Robinho é a maior das manchas possíveis à gloriosa história do Santos

Nathália Almeida
Santos v Cruzeiro - Brasileirao Series A 2015
Santos v Cruzeiro - Brasileirao Series A 2015 / Friedemann Vogel/Getty Images
facebooktwitterreddit

Dono de uma das camisas mais pesadas e tradicionais do futebol mundial, o Santos Futebol Clube, centenário, vitorioso, vanguardista e berço de craques inigualáveis - incluindo o maior da história, o Rei Pelé -, protagonizou um episódio triste, revoltante e que vai na contramão de tudo que deveríamos primar enquanto sociedade: deu oportunidade, abrigo e celebração a um indivíduo que carrega, fora das quatro linhas, uma condenação por estupro.

Para quem vê o esporte de maneira superficial - apenas com o olho da competitividade, das taças, dos feitos dentro das quatro linhas -, um rebaixamento é uma mancha. Uma virada de mesa é uma mancha. Mas o futebol vai muito além do campo e bola: é uma ferramenta de transformação social, onde clubes/instituições têm, em suas mãos, o poder de educar, conscientizar, modificar realidades cruéis e liderar pelo exemplo.

Dito isso, não há mancha maior para um clube do que negligenciar sua função social, passando por cima de valores éticos, morais e humanos em detrimento da ambição esportiva. Ao contratar Robinho, o Santos pisa em sua história de vanguarda, humilha suas próprias torcedoras e todo o universo feminino que ama/acompanha futebol e migra de 'suposto aliado' ao posto de algoz, pois avaliza e premia a violência de gênero ao abrigar em seus vestiários um condenado por agressão sexual.

Mais do que uma simples contradição, a contratação de Robinho por um dos clubes supostamente mais 'engajados' na luta pela igualdade de gênero no meio esportivo escancara sua verdadeira faceta, de hipocrisia, oportunismo e total descaso à vida das mulheres. E não há campanha rasa em rede social capaz de limpar a sujeira que o Santos conscientemente patrocinou: é uma marca que o acompanhará durante muito tempo, e que nós, mulheres, faremos questão de não deixar cair no esquecimento.

facebooktwitterreddit