Fora do Campo

Consórcio do Maracanã recusa pedido do Vasco, e diretoria contesta decisão: 'Não há justificativa'

Matheus Nunes
Vasco queria que partida contra o Sport fosse no Maracanã
Vasco queria que partida contra o Sport fosse no Maracanã / Shaun Botterill/GettyImages
facebooktwitterreddit

A partida entre Vasco e Sport Recife pela Série B, no dia 3 de julho, não deve acontecer no Maracanã. O clube havia solicitado que o confronto acontecesse no Templo do Futebol, mas o consórcio que administra o estádio negou o pedido, alegando que o Fluminense jogará no dia anterior, prejudicando o gramado.

A decisão não foi bem vista pelo Cruzmaltino, que acredita que a recusa foi uma forma de retaliação pelos problemas que o clube enfrentou com a concessionária antes do duelo contra o Cruzeiro, em 12 de junho.

"Com essa decisão, o consórcio fecha as portas do Maracanã para o Vasco e sua torcida. Não há justificativa plausível para impedir a realização de nossa partida contra o Sport no maior estádio do Rio de Janeiro, que é um equipamento público. Não se pode aceitar tratamento diferenciado entre os grandes clubes cariocas. Esperamos que o bom senso possa prevalecer e que essa decisão seja revertida", disse o 1º vice-presidente Geral do Alvinegro, Carlos Roberto Osório.

De acordo com a empresa que administra o Maracanã, já foi feito um cronograma de partidas que acontecerão no estádio no mês de julho. O Gigante da Colina rebate, alegando que o limite máximo determinado (10 jogos) não será atingido, mesmo se Flamengo e Fluminense avançarem de fase na Copa do Brasil.

Um novo ofício foi enviado pelo departamento jurídico vascaíno nesta quarta-feira (22), e o clube espera uma resposta diferente do consórcio até a noite de quinta.

facebooktwitterreddit