Copa do Mundo 2022

Com VAR 'ao lado' em quatro oportunidades, Brasil apenas empata no Equador pelas Eliminatórias

Fabio Utz
Alisson foi 'expulso' duas vezes, mas continuou em campo
Alisson foi 'expulso' duas vezes, mas continuou em campo / Pool/GettyImages
facebooktwitterreddit

Em ano de Copa do Mundo, a expectativa naturalmente aumenta. E o Brasil, de certa forma, deixou a desejar em seu primeiro compromisso na temporada. Não tanto pelo resultado, já que a classificação para o Qatar está garantida, mas sim pela falta de produção. Em Quito, a seleção apenas empatou em 1 a 1 com o Equador pelas Eliminatórias.

Wilmar Roldan VAr Brasil Equador Eliminatórias Copa do Mundo
Wilmar Roldán precisou da ajuda do VAR em diversos lances / Pool/GettyImages

É verdade que, se alguém queria analisar o rendimento coletivo do time, além de individualidades como Vinicius Junior e Raphinha, por exemplo, ficou prejudicado, além da altitude, por uma sequência incrível de acontecimentos. Agora, mesmo assim, faltou inspiração, e alguns jogadores, como Éder Militão e os próprios avantes, estiveram abaixo da média.

PRIMEIRO TEMPO 'LOUCO'

É difícil ver um tempo de jogo com tantos fatos relevantes como nos primeiros 45 minutos do duelo na capital equatoriana. O Brasil, por exemplo, precisou de apenas cinco minutos para balançar a rede com Casemiro, aproveitando sobra de bola dentro da pequena área. Dez minutos depois, o goleiro Domínguez, por acertar um chute no pescoço de Matheus Cunha, recebeu cartão vermelho direito. Pois aí veio Emerson Royal e, no lance seguinte, ganhou o segundo amarelo - havia tomado o primeiro logo após o apito inicial - e também foi para o chuveiro mais cedo, fazendo com que a seleção não pudesse aproveitar a vantagem numérica.

Casemiro Brasil Equador Seleção Brasileira Eliminatórias Copa do Mundo
Casemiro abriu o placar para a seleção em Quito / Pool/GettyImages

E olha que poderia ter sido pior. Aos 30, o árbitro Wilmar Roldán chegou a dar vermelho para Alisson por falta semelhante àquela cometida pelo arqueiro rival. Porém, ao revisar o lance no VAR, trocou o cartão e deixou o goleiro canarinho só com o amarelo, pois ele tocou primeiro na bola. Se não bastasse isso, para recompor o sistema defensivo, Tite precisou abrir mão do armador Philippe Coutinho para a entrada de Daniel Alves.

'LOUCURA' SEGUE NA ETAPA FINAL

Se a gente disser para você que o segundo tempo foi quase tão louco quanto o primeiro você acredita? Pois então...aos três minutos Estupiñán chegou a balançar a rede, mas para a sorte do Brasil a bola cruzou a linha de fundo no lance. Logo em seguida, aos dez, mais uma vez o vídeo esteve a favor de Tite e companhia, pois um pênalti de Raphinha no próprio Estupiñán, marcado em campo por Roldán, foi anulado depois de o árbitro ir à tela acompanhar os detalhes - realmente não houve falta.

Felix Torres Brasil Equador Seleção Brasileira Eliminatórias Copa do Mundo
Torres deixou tudo igual na etapa final / Pool/GettyImages

No entanto, só de VAR não vive uma seleção. A equipe parecia querer dar chance para o azar, e Félix Torres, em cobrança de escanteio, tratou de deixar tudo igual ao se antecipar a Casemiro e cabecear livre para a meta de Alisson. A essa altura, Raphinha e Vinicius Junior já haviam deixado o gramado (para as entradas de Antony e Gabriel Jesus), e Gabigol acabou chamado para tentar fazer com que o placar voltasse a ser favorável - entrou no lugar de Matheus Cunha. Não foi possível, e a loucura acabou mesmo em 1 a 1 depois que, nos acréscimos, um pênalti e uma nova expulsão de Alisson não foram consumados, também, pela ajuda do VAR.

Na próxima terça-feira, a seleção volta a campo para encarar o Paraguai. O duelo, a partir das 21h30min, será no Mineirão, em Belo Horizonte.

facebooktwitterreddit