Com obstáculos financeiros e prazo curto, Cruzeiro segue em negociações por Arthur Caíke

Sep 13, 2020, 9:51 PM GMT-3
FBL-SUDAMERICANA-BAHIA-CERRO
Enderson Moreira quer mais um atacante e gosta de Arthur Caíke. | NELSON ALMEIDA/Getty Images
facebooktwitterreddit

Sem Iván Angulo, que voltou ao Palmeiras, e outros dois jogadores do setor ofensivo, o Cruzeiro voltou ao mercado e espera trazer ao menos uma peça de reposição para o setor. Por ora, o nome da vez é o do ex-Bahia, Arthur Caíke, que pertence ao Al-Shabab, dos Emirados Árabes, e é um dos favoritos da diretoria e da comissão técnica para chegar à Toca da Raposa.

Apesar do favoritismo do atacante, segundo apurou o GloboEsporte.com, há dois grandes empecilhos para que a negociação (emperrada no momento) aconteça: o ‘tempo’ e o ‘dinheiro’. O primeiro se deve ao curto prazo – segunda-feira (10) – para o fechamento da janela internacional de transferências – e o segundo pela necessidade de compensação financeira aos árabes.

Cruzeiro Plays URT With Closed Doors as the State Championship Resumes Amidst the Coronavirus (COVID - 19) Pandemic
Pedro Vilela/Getty Images

Com menos de um ano de contrato pela frente com o atacante, o Al-Shabab espera negociá-lo em definitivo para compensar parte do investimento que fez para tirá-lo da Chapecoense, em 2018. Ou seja, um novo empréstimo – lembrando que ele foi cedido por um ano e meio ao Bahia – não é uma opção no momento.

Ao seu favor, o Cruzeiro tem o interesse de Arthur, que quer permanecer no futebol brasileiro e gosta da ideia de defender o clube mineiro, e o fato de nenhuma outra equipe ter formalizado uma proposta pelo atacante de 28 anos. Porém, caso as tratativas não caminhem durante a semana, ele deve voltar ao mundo árabe.

Além da necessidade de reforçar o ataque, que carece de peças de velocidade para os lados do campo, Arthur Caíke entrou no radar do Cruzeiro por ter trabalhado durante dois meses com Enderson Moreira no Bahia, em 2019. À época, o atacante foi titular absoluto da posição.

Cabe ressaltar que o Tricolor de Aço, onde o extremo disputou 54 partidas e marcou 9 gols, tentou renovar o vínculo. Porém, sem acordo com os árabes, acabou saindo do negócio.


Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit