Opinião

Com gesto emocionante, o Fulham nos fez lembrar que futebol não é apenas um jogo

Nathália Almeida
Fulham empatou por 1 a 1 com Stoke City
Fulham empatou por 1 a 1 com Stoke City / Jacques Feeney/Getty Images
facebooktwitterreddit

Distante do glamour da Premier League, Bristol City e Fulham disputaram, na tarde deste sábado (25), um importante duelo pela Championship, equivalente à segunda divisão do futebol inglês. Bem próximos na tabela de classificação, os dois adversários acabaram protagonizando um duelo muito equilibrado, com placar final de 1 a 1. Contudo, por outros motivos que transcendem a bola rolando, o time londrino pode ser considerado o grande vitorioso deste final de semana. E nós vamos explicar o por quê.

Aos 5' minutos da segunda etapa, quando o centroavante Aleksandar Mitrović foi às redes e abriu o placar, os jogadores do time visitante protagonizaram a imagem mais bonita e marcante do final de semana: se dirigiram às arquibancadas para comemorar o gol com Rhys Porter, torcedor do Fulham de apenas 13 anos que sofre de paralisia cerebral tetraplégica e epilepsia. Sua história se tornou conhecida ao longo da última semana, quando o jovem sofreu uma série de ataques discriminatórios e cyberbullying após postar seus vídeos atuando como goleiro do Feltham Bees FC, um clube de futebol para pessoas com deficiência.

Antes da apoteótica celebração coletiva na tarde deste sábado (25), o jovem torcedor já havia recebido o convite do clube para treinar ao lado de Paul Gazzaniga e Marek Rodák, goleiros do elenco principal, o que rendeu ao garoto a chance de conhecer as instalações do Craven Cottage e passar uma tarde inteira ao lado de seus heróis e referências. O clube ainda adicionou uma foto de Rhys em seu website, elencando-o como um dos jogadores do plantel, além de dedicar uma biografia marcante ao ilustre fã: "Rhys, você é o Fulham Football Club, e estamos todos tão orgulhosos de você", publicou o Fulham.

Com um gesto solidário e de acolhimento, o Fulham abraçou Rhys Porter. E, de quebra, nos fez lembrar que o futebol não é apenas um jogo: é uma ferramenta universal de transformação de vidas.

facebooktwitterreddit