Copa do Mundo 2022

Chile vai recorrer à CAS após Fifa não identificar irregularidade e confirmar Equador na Copa do Mundo

Matheus Nunes
O lateral-direito Byron Castillo teria jogado de forma irregular nas eliminatórias, segundo alega a Federação Chilena
O lateral-direito Byron Castillo teria jogado de forma irregular nas eliminatórias, segundo alega a Federação Chilena / Daniel Jayo/GettyImages
facebooktwitterreddit

A novela envolvendo as seleções do Equador e Chile e o jogador Byron Castillo ganhou mais um capítulo. A Fifa confirmou, nesta sexta-feira (16), a participação dos equatorianos na próxima Copa do Mundo, após rejeitar a apelação dos chilenos, que alegavam escalação irregular do lateral-direito nas Eliminatórias Sul-Americanas.

Mesmo com a decisão tomada pela maior entidade do futebol, o Chile vai recorrer à CAS (Corte Arbitral do Esporte), que é a última instância da Justiça desportiva no mundo. Segundo o advogado da Federação Chilena, Eduardo Carlezzo, existe uma grande quantidade de documentos que dão razão aos chilenos na quebra de braço judicial.

A Roja acusa Castillo de ser colombiano de nascimento, e não equatoriano, jogando dessa forma com passaporte falso. "Nunca vi uma injustiça como essa em toda a minha vida como advogado. Há uma enorme quantidade de documentos que, por si só, provam sem qualquer dúvida que o jogador nasceu na Colômbia", disse Carlezzo.

O advogado também pontua que o próprio atleta confessou tal situação, em áudio durante uma investigação oficial realizada pela Federação Equatoriana. "Ainda, o jogador brincou com o sistema ao não comparecer a uma audiência e nada disso surtiu efeito. O que mais é necessário?", finalizou.

A seleção do Equador faz a partida de abertura da Copa do Mundo, contra o Catar. O confronto está marcada para o dia 20 de novembro. O Grupo A, onde as duas seleções estão, ainda conta com Senegal e Holanda.

facebooktwitterreddit