Bundesliga

Temporada irregular do Borussia Dortmund pode resultar em debandada, diz jornal

Lucas Humberto
Time comandado por Marco Rose perdeu 12 dos 36 jogos que disputou na atual temporada
Time comandado por Marco Rose perdeu 12 dos 36 jogos que disputou na atual temporada / Alex Grimm/GettyImages
facebooktwitterreddit

A inconstante temporada do Borussia Dortmund pode causar uma verdadeira revolução no clube. Após eliminação da Champions e Europa League, bem como da Copa da Alemanha, os aurinegros protagonizam um amargo empate com o Augsburg, por 1 a 1, e, agora, viram a Bundesliga, que já era difícil, ficar ainda mais distante.

Atualmente são oito pontos a menos do que o líder Bayern de Munique e há apenas mais um confronto entre eles, marcado para 23 de abril.

Marco Reus Borussia Dortmund Bundesliga Eliminação
17 jogadores que terão seus contratos encerrados entre 2022 e 2023 têm futuro incerto / SASCHA SCHUERMANN/GettyImages

E as consequências das múltiplas derrotas vão respingar nos jogadores. Até 17 deles, diga-se de passagem. Segundo informações do veículo alemão Bild, há grandes questões cercando atletas que terão seu contrato encerrado entre 2022 e 2033, incluindo Marco Reus e Mats Hummels. A permanência dos veteranos, aliás, só irá ocorrer mediante redução salarial.

Além de Erling Haaland, que deve estar de saída na janela de verão, o BVB estaria considerando se livrar de outras peças. Thorgan Hazard, Julian Brandt, Nico Schulz, Axel Witsel, Roman Bürki e Emre Can compõe a lista. A revolução, claro, também pode afetar a área técnica, uma vez que Marco Rose também está entre os protagonistas da pífia campanha.

Ainda de acordo com apuração do Bild, internamente comenta-se que falta domínio e assertividade ao treinador alemão. Edin Terzic, diretor técnico do clube que atuou como interino em outras oportunidades, pode novamente assumir a vaga deixada por Rose em caso de demissão. Será que o BVB irá engrenar caso as mudanças sejam concretizadas?

Marco Rose Borussia Dortmund
Rose também está no foco das críticas / MICHAELA REHLE/GettyImages
facebooktwitterreddit