Copa Libertadores

Athletico-PR reage em jogo com polêmicas no VAR, elimina Palmeiras no Allianz Parque e vai à final da Libertadores

Bia Palumbo
Pablo saiu do banco e mudou a história da semifinal no Allianz Parque
Pablo saiu do banco e mudou a história da semifinal no Allianz Parque / Ricardo Moreira/GettyImages
facebooktwitterreddit

Atual bicampeão, o Palmeiras está eliminado da Libertadores. O Athletico-PR avançou à segunda final de sua história em pleno Allianz Parque, após o empate em 2 a 2 nesta terça-feira (6).

Com este resultado, o Furacão aguarda o adversário entre Flamengo e Vélez Sarsfield para saber com quem decide o título no próximo dia 29 de outubro em Guayaquil (Equador).

O Furacão jogava pelo empate, visto que ganhou em Curitiba por 1 a 0, com gol de Alex Santana. No entanto, a vantagem foi pelos ares logo aos 2 minutos, quando Erick deixou Gustavo Scarpa livre para avançar até a área e balançar a rede ao receber um cruzamento de Zé Rafael.

O próprio camisa 14 teve a chance de ampliar, mas Bento fez boa defesa. O goleiro formado na base do clube ainda evitou outro gol de Gabriel Menino na etapa final. O alviverde continuou tomando a iniciativa da partida e o jogo esquentou com divididas, tanto que Esteban Ostojich distribuiu cartões amarelos para Gabriel Menino (Palmeiras) e Canobbio e Alex Santana (Athletico).

A disputa mais forte foi quando Murilo acertou a perna de Vitor Roque com a sola da chuteira e foi advertido, mas o VAR chamou para a revisão e então o uruguaio expulsou o zagueiro palmeirense, para desespero do técnico Abel Ferreira. Minutos antes o português tinha contestado a decisão do árbitro porque achou que a equipe de vídeo deveria ter interferido no lance de Alex Santana com Rony. O camisa 10 também reclamou de pênalti por suposto pisão de Fernandinho nele dentro da área.

Com vantagem numérica em campo, porém atrás no placar, o rubro-negro voltou do intervalo com três mudanças. Além dos amarelados Alex Santana e Canobbio o lateral Abner também saiu. Artilheiro do time no ano, Terans foi para o jogo, assim como Rômulo e Pedrinho. Já Abel Ferreira foi mais comedido e preferiu recompor o sistema defensivo com o zagueiro Luan na vaga do meio-campista Bruno Tabata.

A pressão palmeirense deu resultado quando Marcos Rocha cobrou o lateral dentro da área, Gustavo Gómez cabeceou por trás da defesa e nem Erick nem Thiago Heleno subiram junto com o paraguaio, que assim fez 2 a 0. O resultado seria suficiente para classificar o Verdão e provocou uma catarse na torcida alviverde.

A reação do Athletico foi imediata: o centroavante Pablo também foi acionado na vaga do meio-campista Erick. E o camisa 5 correspondeu à expectativa ao diminuir para 2 a 1 em uma jogada típica de centroavante, após boa visão de jogo de Fernandinho, que achou Vitinho na esquerda, ele jogou na área e então o desvio enganou o goleiro Weverton.

O placar de 2 a 1 levava a decisão da vaga para os pênaltis, porém Terans resolveu arriscar um chute de fora da área, a batida colocada resvalou em Piquerez e entrou no canto direito de Weverton, que se esticou e não alcançou a bola.

Nos acréscimos o goleiro palmeirense até foi para a área tentar a sorte, mas não conseguiu finalizar. Festa paranaense e vaga para a final da Libertadores após 17 anos de espera!

facebooktwitterreddit