Futebol Feminino

As 5 melhores finais da história da Eurocopa Feminina

Nathália Almeida
Final da Eurocopa Feminina de 2017 foi uma das mais eletrizantes
Final da Eurocopa Feminina de 2017 foi uma das mais eletrizantes / JOHN THYS/GettyImages
facebooktwitterreddit

Com a grande decisão da Eurocopa Feminina de 2022 se aproximando - está programada para acontecer no histórico estádio de Wembley, no próximo domingo (31), com ingressos totalmente esgotados antecipadamente -, o 90min decidiu "aquecer as turbinas" relembrando algumas das finais mais marcantes da principal competição do futebol feminino europeu.

A seguir, confira 5 decisões históricas de Eurocopa Feminina que estão marcadas na memória dos fãs da modalidade:


1. Suécia 1 (4) x (3) 1 Inglaterra (1984)

Pia Sundhage
Pia Sundhage, atual treinadora do Brasil, conquistou a Eurocopa Feminina de 1984 como atleta / Gabriel Aponte/GettyImages

Voltamos a 1984 naquela que foi a primeira edição de um campeonato europeu feminino, antes até da intervenção da UEFA. Na referida final - que foi disputada em ida e volta -, Suécia e Inglaterra empataram em 1 a 1, com cada uma das seleções vencendo uma partida por 1 a 0. Nas penalidades, quem levou a melhor foi a equipe escandinava.

Uma curiosidade interessante sobre o torneio: com quatro gols, sua artilheira máxima foi Pia Sundhage, atual técnica da Seleção Brasileira.

2. Alemanha 6 x 2 Inglaterra (2009)

Germany's Birgit Prinz (C) celebrates af
Alemanha, de Birgit Prinz, atropelou a Inglaterra na decisão de 2009 / OLIVIER MORIN/GettyImages

Você sabia que Inglaterra e Alemanha já se enfrentaram em uma decisão de Eurocopa Feminina? Há 13 anos, em território finlandês, a fortíssima e favorita seleção germânica simplesmente destruiu a equipe inglesa, com atuações de gala das atacantes Inka Grings (artilheira do torneio com 6 gols) e Birgit Prinz.

Cada uma anotou dois gols no "atropelo" por 6 a 2, resultado que selou a sétima conquista histórica da Alemanha.

3. Alemanha 3 x 1 Noruega (1991)

Germany's Heidi Mohr (9) and her teamate
Heidi Mohr foi uma grande atacante do futebol alemão / TOMMY CHENG/GettyImages

Disputada na Dinamarca, a primeira edição da Eurocopa Feminina já com a UEFA como 'tutora' teve como finalistas Alemanha e Noruega, duas forças da modalidade. Apesar da resistência da equipe nórdica - que chegou a abrir o placar e sustentou o empate por 1 a 1 durante o tempo regulamentar -, o time germânico tinha Heidi Mohr, inspirada artilheira que marcou sete gols na campanha.

Com dois tentos na prorrogação, a Alemanha venceu o jogo por 3 a 1 e sacramentou o seu bicampeonato.

4. Holanda 4 x 2 Dinamarca (2017)

UEFA Women's Euro 2017 Final in Netherlands
Holanda conquistou a Eurocopa Feminina de 2017 em sua casa / Anadolu Agency/GettyImages

Não é sempre que um país-sede consegue ir longe no torneio que recebe, mas quando acontece, a festa nas arquibancadas é épica. Em 2017, foi a Holanda quem fez história, conquistando seu primeiro título de Eurocopa Feminina diante de seu povo, em uma final eletrizante contra a boa equipe da Dinamarca.

Considerada por muitos como uma das melhores atacantes do mundo, Miedema (Arsenal) anotou dois gols na decisão, e Lieke Martens, hoje no PSG, foi a MVP do torneio.

5. Noruega 1 x 0 Itália (1993)

Norway's Tone Haugen (R) tries to stop Germany's S
Noruega foi uma das seleções dominantes no futebol feminino nos anos 90 / JACK MIKRUT/GettyImages

É, nem sempre as seleções da casa vivem o enredo dos sonhos que a Holanda experimentou em 2017. A Itália que o diga. Em 1993, a Azzurra fez boa campanha como anfitriã e chegou à decisão da Eurocopa Feminina, mas teve seu "conto de fadas" mutilado na grande final.

Com gol de Anne Nymark Andersen, a Noruega venceu a Itália por 1 a 0. Dois anos depois, a equipe nórdica se sagraria campeã da Copa do Mundo da modalidade.

facebooktwitterreddit