Futebol brasileiro

Artur rechaça mágoa e revela aprendizado mesmo com poucas chances recebidas nos tempos de Palmeiras

Fabio Utz
Atacante ficou vinculado ao Verdão de 2016 a 2020
Atacante ficou vinculado ao Verdão de 2016 a 2020 / Miguel Schincariol/Getty Images
facebooktwitterreddit

O atacante Artur, que é um dos bons nomes do Red Bull Bragantino, ficou vinculado ao Palmeiras de 2016 a 2020. As chances de mostrar futebol no Verdão não apareceram, tanto que foi emprestado para Novorizontino, Londrina e Bahia antes da negociação em definitivo com o Massa Bruta. Porém, se engana quem acha que ele guarda mágoa do antigo clube.

O sentimento em relação ao gigante paulista é exatamente o contrário. "Em relação ao Palmeiras, eu tenho gratidão. Não posso sentir mágoa por nada, tenho gratidão por tudo. Me receberam muito jovem ali, com 12, 13 anos. Sempre tive uma relação muito boa com eles, então é só gratidão e um carinho enorme", disse o jogador em entrevista à Gazeta Esportiva.

Segundo Artur, até mesmo o repasse a outras equipes serviu de aprendizado. "Os empréstimos foram fundamentais na minha carreira, para amadurecimento, sequência de jogos… Para sentir o que era ser jogador com torcida, pressão, foi fundamental para mim. Cresci pessoalmente e profissionalmente", acrescentou. No atual Campeonato Brasileiro, o atleta de 23 anos já acumula três gols e cinco assistências. Sinal, sim, de que o seu trabalho é bem feito.

Para mais notícias do Palmeiras, clique aqui.

Para mais notícias do Red Bull Bragantino, clique aqui.

facebooktwitterreddit