Fluminense

"Além de jogar bem, a gente tem que pontuar bem", diz Fernando Diniz em seu retorno ao Fluminense

Fabio Utz
Treinador volta ao clube carioca após três anos
Treinador volta ao clube carioca após três anos / Lucas Uebel/GettyImages
facebooktwitterreddit

Começou oficialmente a nova era Fernando Diniz no Fluminense. No início da tarde desta segunda-feira o técnico foi apresentado e concedeu sua primeira entrevista coletiva na volta às Laranjeiras. E, obviamente, este retorno ao clube pautou boa parte da conversa com os repórteres.

Diniz trabalhou pela primeira vez no Flu em 2019. Na ocasião, principalmente durante a disputa do Campeonato Brasileiro, o time conseguia ter desempenho, mas os resultados não vinham. Com isso, acabou demitido ainda no mês de agosto, com 15 rodadas da Série A e o clube na 18ª posição na tabela. Pois o profissional tem ciência de que é preciso ir além da performance.

"Por mais que a gente jogue bem, a gente tem que pontuar bem. Mas foi um momento muito especial para o Fluminense. O Nino era desconhecido, o Allan, o Caio Henrique (...). Foi um celeiro de preparação de jogadores para estourarem no cenário nacional. Em termos de números é uma campanha que a gente não pode admitir, mas teve muita coisa boa naquele período também."

Fernando Diniz, sobre 2019

Ele sabe, ainda, que naturalmente a exigência em 2022 será bem maior. "Ainda bem que subiu, né? Isso é bom, tem que subir mesmo. Temos que fazer o melhor para o Fluminense brigar por qualquer competição em nível nacional pelo elenco que foi montado. As coisas eram muito difíceis. Hoje está tudo mais ajustado, e quero contribui para que as coisas prosperem." Aliás, a confiança recebida a relação construída com os torcedores ajudou neste retorno. "A torcida conseguia enxergar que alguma coisa positiva iria acontecer. E minha relação com a torcida aproximou muito esse retorno", concluiu.

RELAÇÃO COM O PRESIDENTE MÁRIO BITTENCOURT

O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, já revelou ter se arrependido da demissão de Fernando Diniz em 2019. Agora, ambos se reencontram nas Laranjeiras. E o técnico não se furtou de elogiar a gestão do clube, bastante criticada pela torcida.

"A gente sempre se falou desde que eu saí. A gente se gosta. O trabalho que ele faz aqui é excelente, excepcional. Eu sei o Fluminense que era quando ele chegou e o que está aí hoje. É um dos melhores trabalho do Brasil em termos de gestão com certeza."

Fernando Diniz, sobre Mário Bittencourt

Diniz assinou contrato com o Fluminense até o final do ano. Sua estreia é na quarta-feira, no Maracanã, contra o Junior Barranquilla-COL. O jogo é válido pela quarta rodada da Copa Sul-Americana.

OUTRAS FALAS DE DINIZ

MOMENTO PESSOAL: "Eu estudei muito, revi muitos jogos que eu fiz, assisti jogos de tudo que é divisão, de tudo que é país. Eu volto muito melhor do que eu parti em 2019."

ELENCO: "Eu vejo que o Fluminense montou um time que tem bastante a minha cara. Tem pelo menos sete jogadores nesse elenco que eu tentei levar, mas o Fluminense conseguiu contratar os jogadores. Acho um elenco muito bem montado, extremamente qualificado."

BLINDAGEM AO GRUPO: "Não há controle sobre o que está fora. As noticias que eu tenho é que é um grupo muito solidário, trabalhador e que quer levar o Fluminense para a frente. Chego para otimizar essas coisas, fortalecer o ambiente interno para que jogadores sintam confiança e passem a jogar cada vez melhor."

GANSO: "A minha opinião sobre ele nunca oscilou, e o Ganso para mim é um gênio. É um cara que faz coisas, e eu joguei e treinei muita gente talentosa. Ele faz coisas que ninguém faz."

NATHAN: "É um jogador extremamente talentoso, que se encaixa perfeitamente no que penso de futebol. Vou fazer de tudo para ajudá-lo a corresponder."

Para mais notícias do Fluminense, clique aqui.

facebooktwitterreddit