Copa Libertadores

A seleção ideal dos jogos de volta das quartas de final da Libertadores

Lucas Humberto
Força mental do Palmeiras foi determinante para a classificação à semifinal da Libertadores
Força mental do Palmeiras foi determinante para a classificação à semifinal da Libertadores / Alexandre Schneider/GettyImages
facebooktwitterreddit

As quartas de final da Copa Libertadores derrubaram quatro equipes. Entre roteiros épicos e vitórias premeditadas, tivemos partidas que traduziram a mais pura essência do futebol sul-americano: imprevisível, visceral e catártico. Abaixo, você confere a seleção ideal do 90Min baseada nos destaques dos confrontos de volta.

1. Weverton

Seguro para interceptar as diversas investidas aéreas do Atlético-MG, Weverton brilhou mesmo nas penalidades máximas. Da marca do cal, o goleiro defendeu apenas uma cobrança, a decisiva. E novamente o Palmeiras avança com o brilho do arqueiro.

2. Khellven

Khellven, lateral do Athletico-PR
Khellven se desdobrou na defesa / Marcelo Endelli/GettyImages

Menos ofensivo que de costume, sobretudo em razão da configuração da partida, Khellven soube se multiplicar na linha defensiva. Aliás, assumir diversas frentes é uma das marcas do lateral, que protagonizou a única finalização do Athletico-PR na primeira etapa.

3. Murilo

Murilo, zagueiro do Palmeiras
Murilo converteu o pênalti decisivo / MIGUEL SCHINCARIOL/GettyImages

Quando Weverton defendeu a cobrança do jovem Rubens, a responsabilidade de colocar o Palmeiras em mais uma semifinal de Libertadores recaiu sob Murilo. "Tranquilo" - em suas próprias palavras -, o zagueiro converteu para levar o Allianz Parque ao delírio.

4. Thiago Heleno

Thiago Heleno, zagueiro do Athletico-PR
Thiago Heleno, o General da Baixada, não deixou ninguém de criar por ali / Marcelo Endelli/GettyImages

Destacamos Thiago Heleno pela liderança em campo, mas Pedro Henrique também poderia estar aqui. A dupla de zagueiros do Athletico-PR sabia que praticamente não havia nenhuma margem de erro. Não por acaso o desempenho defensivo do Furacão beirou a perfeição.

5. Francisco Ortega

Francisco Ortega, lateral do Vélez Sarsfield
Solidez de Ortega é uma das armas do Vélez Sarsfield / Hernan Cortez/GettyImages

Antigo alvo do Palmeiras, Francisco Ortega está entre as peças mais perigosas do Vélez Sarsfield. Contra o Talleres, o lateral-esquerdo 'cansou' de ganhar duelos aéreos, pelo chão, de protagonizar desarmes e recuperar bolas. Olho nele, Flamengo...

6. Zé Rafael

Zé Rafael, meia do Palmeiras
Zé Rafael assumiu papel de protagonista no meio-campo do Palmeiras / MIGUEL SCHINCARIOL/GettyImages

Lembra quando citamos os roteiros épicos? Estávamos tratando diretamente da classificação do Palmeiras. Para suprir as ausências de Danilo e Scarpa, quem estava em campo precisou se desdobrar. Zé Rafael correu como nunca. Sempre pronto para ocupar qualquer espaço.

7. Nicolás Garayalde

Nicolás Garayalde, meia do Vélez Sarsfield
Garayalde é um dos pilares do Vélez Sarsfield / Hernan Cortez/GettyImages

Foi apostando na combinação de experiência e juventude que o Vélez Sarsfield avançou à semifinal da Libertadores. Nicolás Garayalde, meia de 23 anos, tem lugar garantido entre os destaques do clube argentino, principalmente devido aos feitos na defesa.

8. Giorgian De Arrascaeta

Giorgian de Arrascaeta, meia do Flamengo
Genialidade de Arrascaeta foi fundamental / Ricardo Moreira/GettyImages

Nada funcionou tanto para o Flamengo nestes dois embates de quartas de final como a genialidade de Arrascaeta. Além de ter sido responsável pelo gol que abriu o placar em São Paulo, o uruguaio, em um lance, encerrou qualquer possibilidade de reação do Corinthians.

9. Lucas Janson

Lucas Janson, atacante do Vélez Sarsfield
Janson está entre os atacantes mais letais desta Libertadores / Marcelo Endelli/GettyImages

Com sete gols nesta edição da Libertadores, Lucas Janson divide a vice-artilharia com Rony e Navarro, ambos do Palmeiras. Na volta das quartas, o argentino não marcou, mas deu a assistência que Julián Fernández precisava para colocar o Vélez Sarsfield na semifinal.

10. Vitor Roque

Vitor Roque entrou no segundo tempo e não conseguiu 'colocar fogo' na partida. Mas, tudo que o atacante de 17 anos precisava era uma bola. Depois de ótimo lance individual de Vitinho, o jovem antecipou o goleiro do Estudiantes e marcou. Uma jogada colocou o Athletico-PR na próxima fase.

11. Pedro

Com gol digno dos mais clássicos centroavantes, Pedro sacramentou o placar agregado de 3 a 0 sobre o Corinthians. Voluntarioso, o artilheiro da Libertadores deixa a impressão de que está vivendo outro dos seus auges físicos e técnicos. Para sorte da torcida do Flamengo.

facebooktwitterreddit