Eurocopa

A seleção ideal da Eurocopa 2020

Seleção 90Min da Eurocopa 2020 tem Sommer, Bonucci, Luke Shaw, Cristiano Ronaldo e muito mais
Seleção 90Min da Eurocopa 2020 tem Sommer, Bonucci, Luke Shaw, Cristiano Ronaldo e muito mais / Laurence Griffiths/Getty Images
facebooktwitterreddit

A Eurocopa 2020 chegou ao fim!

Depois de algumas zebras, favoritismos confirmados, jogadores questionados se firmando e vice-versa, Itália e Inglaterra decidiram o título no místico Wembley. A grande final foi uma amostra de todo o desenrolar do torneio de seleções: equilíbrio, prorrogação, gols inacreditáveis e pênaltis. Coube a Gianluigi Donnarumma sacramentar o placar das penalidades máximas em 3 a 2 favorável aos comandados de Roberto Mancini.

E é justamente sobre os grandes destaques que viemos falar aqui hoje. Abaixo, você confere a seleção da Euro feita por nós, escalada no esquema 3-4-3, já que três foram os zagueiros que brilharam muito no torneio. Já avisamos que as polêmicas começam no primeiro tópico, hein?


1. Yann Sommer (Suíça)

Yann Sommer França Suíça Eurocopa Seleção
Sommer salvou o pênalti que eliminou a França / FRANCK FIFE/Getty Images

Como alguém escolhe Sommer em vez do grande campeão Donnarumma? Critério! Reconhecemos o torneio irretocável feito pelo arqueiro italiano, mas também ressaltamos os feitos do suíço com uma equipe muito menos "estrelada". Enquanto o defensor da Azzurra jogou ao lado de alguns dos mais capacitados jogadores do mundo, Sommer esteve praticamente "sozinho" na missão de fazer todo um time nacional sonhar. Mbappé que o diga...

2. Simon Kjær (Dinamarca)

Simon Kjær Dinamarca Eurocopa Seleção
O dinamarquês foi um dos grandes heróis da Euro / LAURENCE GRIFFITHS/Getty Images

Kjær nasceu para ser um líder. Ao longo de toda a competição, marcada pelo acontecimento com Christian Eriksen, o capitão se transformou no símbolo que a Dinamarca precisava. Para além dos feitos humanos, o zagueiro foi simplesmente unânime no que diz respeito ao seu papel enquanto atleta, marcando presença em praticamente todos os 'top3' de estatísticas defensivas da competição.

3. Leonardo Bonucci (Itália)

Leonardo Bonucci Itália Inglaterra Eurocopa Seleção
Bonucci foi responsável pelo gol que manteve a Itália viva na final / GES-Sportfoto/Getty Images

Quando a Azzurra cambaleava em campo e jogava apenas na qualidade individual de Chiesa, Bonucci acordou toda uma nação. Por conta da qualidade diferenciada, o desempenho do zagueiro pode até não parecer tão grandioso assim, mas ele foi absoluto na defesa italiana, do início ao último minuto.

4. Harry Maguire (Inglaterra)

Harry Maguire Inglaterra Eurocopa
Zagueiro formou uma boa dupla com Walker / LAURENCE GRIFFITHS/Getty Images

Contestado. Essa é uma classificação relativamente "leve" para Harry Maguire. Muito longe de ser unanimidade, o zagueiro calou milhares de críticos ao formar uma defesa praticamente perfeita com Walker. Aliás, o fato dos Três Leões terem sofrido somente dois gols na competição passa muito mais pelos pés dos defensores do que pela performance individual de Jordan Pickford.

5. Joakim Mæhle (Dinamarca)

Joakim Maehle Dinamarca Eurocopa Seleção
Lateral contagiou seu time nacional / Eurasia Sport Images/Getty Images

O lateral-direito do Atalanta foi mais um dos símbolos do poderio do Campeonato Italiano na Eurocopa. Para além do desempenho ímpar dentro das quatro linhas, Mæhle é o típico jogador que contagia seus companheiros e eleva a moral de qualquer equipe. Atuando como ala na Dinamarca, brilhou no apoio ofensivo: dois gols, belas assistências e muitos passes-chave distribuídos em seis partidas.

6. Jorginho (Itália)

Jorginho
Jorginho é campeão da Europa por clube e seleção / Claudio Villa/Getty Images

Que temporada espetacular do camisa 8, campeão europeu por clube (Chelsea) e seleção. Senhor do meio-campo italiano, Jorginho fez uma Euro irretocável do início ao fim, exceção, é claro, do pênalti perdido que poderia ter complicado a Azzurra na decisão contra a Inglaterra. Líder da equipe em passes trocados (529), com um aproveitamento formidável de 93%, regeu a Itália como um verdadeiro maestro.

7. Pedri (Espanha)

Pedri
Pedri fez grande Euro, mesmo sendo tão jovem / David Ramos/Getty Images

Dá para acreditar que ele tem apenas 18 anos? Com a maturidade de um veterano, Pedri foi o grande nome da Espanha na Euro, dando fluidez e criatividade ao setor de meio-campo da Fúria. Foi o sexto jogador com mais passes trocados na competição (465), com 92,3% de precisão. O Barcelona tem um craque em suas mãos.

8. Luke Shaw (Inglaterra)

Luke Shaw Inglaterra Eurocopa Manchester United Seleção
Apesar da derrota, Shaw não ficou devendo em nada / GES-Sportfoto/Getty Images

Indispensável. Iluminado. Estrategista.

Gareth Southgate fez muitas mudanças durante a Eurocopa - inclusive algumas que não agradaram seus torcedores -, mas não mexeu na ala esquerda. Afinal, lá estava o brilhante Luke Shaw, que fez a temporada da sua vida, tanto no Manchester United quanto no campeonato de seleções. Será que sobrou algum crítico, José Mourinho?

9. Patrick Schick (República Tcheca)

patrik schick republica tcheca
Schick levou sua seleção a uma expressiva campanha / DARKO VOJINOVIC/Getty Images

Mais do que terminar a Eurocopa no topo da lista de artilheiros com cinco gols marcados, Patrik Schick foi o líder técnico e moral de sua seleção, conduzindo a República Tcheca à expressiva campanha de quadrifinalista do torneio. Fez tudo que se espera de um legítimo camisa 10: buscou jogo o tempo inteiro, criou, anotou belos gols e desafiou os prognósticos negativos, que davam sua equipe como candidata à queda precoce.

10. Raheem Sterling (Inglaterra)

Raheem Sterling
Sterling era candidato a MVP, se Inglaterra tivesse sido campeã / Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images

Se a Inglaterra tivesse conquistado o título europeu, Raheem Sterling era candidatíssimo ao prêmio de MVP da competição. Carregou seu time nas costas durante a fase de grupos e decidiu, através de um pênalti cavado contra a Dinamarca, a classificação do English Team à grande final. Não se omitiu em jogo algum, sendo incansável do início ao fim do torneio.

11. Cristiano Ronaldo (Portugal)

Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo bateu mais recordes em sua carreira / Laszlo Balogh - Pool/Getty Images

As expectativas sobre Portugal estavam altas antes do torneio começar, mas a equipe lusa não correspondeu. O único que saiu da Eurocopa com a cabeça erguida foi, justamente, o grande craque do time: fez tudo que estava ao seu alcance, anotando 5 gols e quebrando mais uma série de recordes históricos da competição. Infelizmente para Cristiano Ronaldo, seus companheiros deixaram (e muito!) a desejar.

12. Melhor técnico: Roberto Mancini (Itália)

Roberto Mancini
Mancini conduziu a Itália com maestria / Claudio Villa/Getty Images

Sua escolha como melhor treinador da Euro é lógica e natural não só pelo título, mas pelo fato de sua equipe ter sido a mais regular e constante da competição. E quando apresentou todo o seu potencial, a Itália de Roberto Mancini encantou a todos. Fez as mudanças necessárias no decorrer da competição e soube gerenciar muito bem o seu vestiário.

13. Revelação: Mikkel Damsgaard (Dinamarca)

Mikkel Damsgaard
Damsgaard é a joia da Euro 2020 / Visionhaus/Getty Images

As atuações de Mikkel Damsgaard na Euro foram tão impressionantes que o atacante de 21 anos já pode ser considerado uma das sensações do mercado de transferências, estando na mira de quatro grandes clubes do Velho Continente, incluindo Barcelona e Juventus. Com uma assistência e dois gols - incluindo uma pintura de falta, contra a Inglaterra -, o jogador da Dinamarca mereceu o posto de revelação da competição.

14. 12º jogador: Federico Chiesa (Itália)

Federico Chiesa
Chiesa mudou a cara da Itália vindo do banco de reservas / Claudio Villa/Getty Images

Fechamos essa lista com outra escolha que não surpreende: o melhor jogador vindo do banco de reservas desta Euro é aquele que conseguiu conquistar sua titularidade no decorrer da competição, mudando totalmente a cara de sua seleção. Agudo, veloz, habilidoso e corajoso, Federico Chiesa elevou muito a qualidade do ataque italiano, tomando a vaga de Berardi, que não jogou tudo que poderia neste torneio.

facebooktwitterreddit