A Libertadores e o Inter

Internacional's Fernandao da Costa (C) c
Internacional's Fernandao da Costa (C) c | ANTONIO SCORZA/Getty Images

*Por Marcinho Black

A CONMEBOL Libertadores  já foi vilã e mocinha para o Internacional. Sua relação com o Colorado começou na década de 70 , na grande década do clube em termos de qualidade de time,  nesta época o Inter montou grandes esquadrões ,foi tricampeão brasileiro, uma vez invicto em 79 e mostrou para o Brasil grandes craques como Falcão, Carpegiani, Lula,Batista, Jair, Valdomiro, bah, era demais. Eu colocaria o time de 75 do Internacional no mesmo patamar  do Santos do Pelé, do Cruzeiro do Dirceu Lopes, do Flamengo do Zico e do São Paulo do Telê Santana.  Para quem  gosta do futebol num geral, com certeza estes foram  alguns dos melhores times brasileiros de todos os tempos. 

O Inter está em sua décima terceira participação na Copa. Já nos presenteou com alguns fiascos históricos, como ficar fora na primeira fase da competição (como em 1976, 1993 e pasmem 2007, meses após ter sido campeão do Mundo), nos trouxe uma enorme decepção , como em 1989 quando o Olímpia, dentro do Gigante na semi, acabou com o sonho do nosso primeiro título .  As nossas melhores campanhas foram : um vice em  1980, com o Falcão no time, e os dois títulos de 2006 e 2010, ou seja, aproveitamento de mais de 66% em finais do maior torneio do continente (adversários, não nos deixem chegar à final, há uma grande possibilidade de você perder hahahahaha).  

Brazilian Internacional's footballer Raf
Brazilian Internacional's footballer Raf | JEFFERSON BERNARDES/Getty Images

Em nosso primeiro título de 2006, eu sinceramente não esperava  que conseguíssemos chegar “à glória”. O título brasileiro roubado de 2005 ainda fazia eu ter  pesadelos com Márcio Resende , STJD e Zveiter . Mas os “deuses” do futebol foram honestos conosco, só quem já venceu este torneio , sabe  da alegria e emoção que traz esta conquista. 

O 16 de agosto  de 2006 foi um  típico dia de inverno gaúcho, chuvoso, frio, chato. Só o Internacional poderia transformar aquele dia. Furei fila pra entrar no estádio, rasguei minha capa de chuva, rolei na arquibancada, xinguei torcedor corneteiro e negativo, chorei como nunca mas vi naquela noite  o que é ser Campeão da América. A partir daquele dia , entendi por que a bola não entrou em 1980 na decisão contra o Nacional , entendi por que o Nilson errou aquele pênalti em 89, entendi por que em 1993 fomos eliminados na fase de grupos e porque não vencemos o brasileiro de 2005.  Deus estava preparando  o torcedor colorado para naquele  16 de agosto ver um Gigante da Beira do Rio olhar para seu povo e dizer: “Tudo na vida tem uma razão meus filhos, nada vem fácil , mas hoje quero que tu comemore. Colorados a América é vermelha .......... e  caminho para o mundo está aberto”. Bom , o resto é outra história.

Vamos Inter!!!!!!!!