Flamengo

A insensatez do "fora Ceni": torcida do Flamengo se acostumou com universo mágico

Antonio Mota
Rogério Ceni não faz um trabalho brilhante, mas tem base para continuar no Flamengo. “Fora Ceni” é não enxergar a realidade.
Rogério Ceni não faz um trabalho brilhante, mas tem base para continuar no Flamengo. “Fora Ceni” é não enxergar a realidade. / Pool/Getty Images
facebooktwitterreddit

Após o sofrido e arrastado empate do Flamengo contra a LDU, no Maracanã, na noite da última quarta-feira (20), pela quinta rodada do Grupo G da Conmebol Libertadores de 2021, a Nação Rubro-Negra não poupou críticas ao técnico Rogério Ceni e explodiu uma campanha pela demissão do treinador nas redes sociais: “Fora Ceni”. As avaliações diversas ao trabalho de Ceni são plausíveis, mas não há sensatez no pedido pelo desligamento do profissional.

Rogério Ceni não faz um trabalho brilhante no Flamengo e comete erros pouco compreensíveis em determinados momentos, mas ele faz um bom trabalho no Rio de Janeiro. Ignorar os títulos conquistados, o ideal ofensivo que ele colocou (ou manteve) no time, a forma como conquistou o elenco e vários outros pontos é negar a realidade. Fato. Ele também erra muito e precisa melhorar, e muito, sobretudo no que diz respeito ao sistema defensivo, mas a resposta não é demiti-lo.  

Rogério Ceni Flamengo
Rogério Ceni precisa de tempo para trabalhar no Flamengo. / Pool/Getty Images

Antes da ‘era Jorge Jesus’, a torcida do Flamengo provavelmente acharia o trabalho de Rogério Ceni excelente e vencedor. Agora, porém, com a “eterna” sombra do Mister, a Nação quer espetáculo, quer goleadas, quer que o Mais Querido massacre os adversários e mostre cada vez mais força. Pois bem, não é assim. Não que o Fla não possa apresentar um futebol semelhante ao de 2019, mas que o futebol não é tão preto no branco. O mundo da bola nunca vai ser simples.

O Flamengo de hoje não conta com Rafinha e Pablo Marí, por exemplo. A dupla faz uma falta imensa. Jorge Jesus foi para o Benfica. Também não conta com uma versão afiada de Everton Ribeiro e Bruno Henrique. E, claro, também não tem o Maracanã lotado para apoiá-lo. Portanto, mesmo com muitos rostos comuns, é um outro Flamengo, em um outro cenário, em outro contexto... É um novo Fla.

O mágico Flamengo de 2019 não existe mais, e a Nação Rubro-Negra precisa entender isso. Rogério Ceni faz um bom trabalho e precisa de tempo para encontrar o melhor novo Fla.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

facebooktwitterreddit