Impacto social

A coragem de ser Joshua Cavallo em um mundo de Maurício Souza

Lucas Humberto
Jovem jogador australiano se assumiu homossexual em meio aos recentes acontecimentos envolvendo Maurício Souza
Jovem jogador australiano se assumiu homossexual em meio aos recentes acontecimentos envolvendo Maurício Souza / Mackenzie Sweetnam/GettyImages
facebooktwitterreddit

Joshua Cavallo, do Adelaide United, time da primeira divisão australiana, assumiu ser homossexual. Se o mundo fosse um lugar verdadeiramente justo, talvez ninguém precisasse passar anos reunindo coragem para ser algo tão natural assim. Mas a gente está falando do futebol. E nós precisamos assumir (no sentido literal da palavra) que a modalidade ainda enxerga a homossexualidade enquanto transgressão digna de coros inteiros para reafirmar que pessoas LGBTQ+ não têm espaço ali.

Não recomendamos que você desbrave as redes sociais tentando entender como o mundo enxergou a ação de Cavallo. Mas, caso você insista nessa prática pouco saudável, certamente vai encontrar dezenas de pessoas que alegam não haver problema no posicionamento de Joshua - como se coubesse a qualquer de um nós avaliar -, desde que o "cara jogue bola". O problema está justamente no quão isolado é o caso.

Há 100 times somente nas primeiras divisões das cinco principais ligas europeias. E adicionamos outros 40, se contabilizarmos Brasileirão Série A e B. Você consegue enumerar um jogador homossexual nesse universo tão gigantesco? Nós também não. Mas eles existem. E essa é uma afirmação. Acontece que o mundo futebolístico nada mais é que um espelho da sociedade. E nosso mundo, infelizmente, tem muito mais Maurício Souza do que Joshua Cavallo.

Curiosamente ou não - até porque o mundo funciona de formas misteriosas -, o jogador australiano de 21 anos "saiu do armário" em meio ao burburinho envolvendo o atleta de voleibol, recentemente demitido do tradicionalíssimo Minas Tênis Clube. Sem entrar muito nos meandros do acontecimento e seus múltiplos desdobramentos, tudo começou quando o central se manifestou contrário à decisão da DC Comics de retratar o novo Super-Homem enquanto bissexual.

"Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar", foi a legenda da postagem que iniciou as discussões. Então, quando ironicamente questionarem o que tem demais na decisão de Joshua, como se fosse um feito pequeno, a resposta está tão escancarada que por vezes até esquecemos dela: parte da humanidade ainda morre de medo de ser morder do fruto proibido da homossexualidade.

Por essa e um milhão de outras razões o ato de Joshua é tão gigantesco. E nossa esperança é que, depois de tantos anos do mais absoluto silêncio no armário, ele não esteja machucado demais para lutar pelo seu próprio espaço e pelos que virão em seguida. Ao jogador, nós só temos a agradecer e dizer: seja muito bem-vindo. Infelizmente, não vamos conseguir te recepcionar melhor, afinal, o mundo ainda está cheio de Maurícios. E essas pessoas sempre têm mais voz do que deveriam...

Josh Cavallo A-League Maurício Souza Homossexual LGBTQ+
Josh Cavallo em ação pela A-League / Robert Cianflone/GettyImages
facebooktwitterreddit