A base vem forte! Coudet prepara jovens para entrarem de vez no time principal

Internacional v Gremio - Copa Sao Paulo de Futebol Junior Final
Alexandre Schneider/Getty Images

A base do Internacional é conhecida por revelar grandes jogadores, e agora é a vez de Praxedes e Peglow ganharem mais oportunidades no time titular do Colorado. Eduardo Coudet, em entrevista para o Uol, fala sobre as duas jovens promessas e os planos para eles.

Alguns torcedores colorados andam duvidando de algumas escolhas de El Chacho, principalmente de não aproveitar muito os garotos Praxedes e Peglow, optando por jogadores como Lindoso, Musto e Patrick muitas vezes.

Para Eduardo Coudet os jovens precisam entrar em um sistema de jogo já consolidado, e não em momentos de necessidade do time. Vale lembrar que Coudet trabalhou na formação de Lautaro Martínez e Lo Celso.

"Não falta nada para eles serem aproveitados, mas precisam seguir trabalhando. São jovens e vão nos ajudar muito dentro de uma estrutura, não dando a eles responsabilidade demais. Quando tenhamos uma estrutura completa, com todos, experientes, vão entrar sem responsabilidade em excesso. Esta é a ideia. Não vamos apressar os processos", disse Coudet.

"Eles vêm trabalhando e vão jogar quando tudo estiver pronto, para que estejam cômodos. Eu converso muito com eles. São jovens, e o que eles não podem é escutar o que se fala na imprensa. Quando se debate por que não jogam, ou por que joga um ou outro. Não vamos apressar os processos", completa o argentino.

O treinador do Internacional também alerta para o psicológico dos meninos:

"Em qualquer clube, aqui e em todo mundo, os problemas começam a surgir quando vem a pressão da imprensa, da torcida... Quando se deixa de chamar o jogador pelo nome e se chama por milhões. Quando o Praxedes vira 'jogador de 20 milhões' ou o Peglow vira 'jogador de 15 milhões'. Eu gosto de colocar os jovens, eles já mostraram que têm qualidade. Mas são meninos. Por sorte, têm a cabeça boa", explicou.

Ambos Praxedes e Peglow possuem apenas 18 anos e subiram para a equipe principal após ótimas atuações em torneiros de base, Praxedes foi o destaque da Copinha e Peglow foi campeão mundial sub-17 pelo Brasil.