7 treinadores que tiveram uma passagem relâmpago antes de deixarem seus clubes

Vitor Beloti
Celso Roth não foi nada bem no Vasco
Celso Roth não foi nada bem no Vasco / Buda Mendes/GettyImages
facebooktwitterreddit

45 dias e apenas 6 jogos. Esta foi a breve passagem de Diego Dabove sob o comando do Bahia. O treinador argentino teve um aproveitamento de apenas 28% em relação aos seus jogos, não sendo suficiente para se manter no cargo. A derrota para o Corinthians, por 3 a 1, na última terça-feira (05), foi a gota d'água e Guilherme Bellintani, presidente do Bahia, decidiu demitir o treinador.

Através disso, fizemos uma lista com 7 treinadores que tiveram uma passagem relâmpago antes de deixarem seus clubes.

1. Paulo Bento - Cruzeiro

Paulo Bento Cruzeiro Saída Técnico
Paulo Bento não aguentou a crise no Cruzeiro / Pedro Vilela/GettyImages

O português Paulo Bento comandou o Cruzeiro por apenas 17 jogos, não conseguindo manter uma boa regularidade. Sob seu comando, o time obteve apenas seis vitórias, três empates e oito derrotas, o que representa um péssimo aproveitamento de 41,17% dos pontos. O treinador deixou o Cruzeiro na vice-lanterna do Campeonato Brasileiro.

2. Lothar Matthäus - Athletico-PR

Matthaus Técnico Saída Athletico-PR
Matthaus saiu do Furacão por problemas pessoais. / ORLANDO KISSNER/GettyImages

Matthaus foi um dos melhores jogadores de sua posição na história, mas como treinador do Athletico-PR não conseguiu fazer muita coisa. Mesmo com seis vitórias e dois empates à beira do gramado, o treinador não permaneceu no clube por questões familiares e decidiu voltar para seu país de origem. A passagem foi curta, mas, pelo menos, conseguiu sair com um bom aproveitamento.

3. Lisca - Internacional

Lisca Demissão Internacional
Lisca não ficou no Colorado após rebaixamento / Lucas Uebel/GettyImages

O famoso Lisca "doido" foi o treinador escolhido pela diretoria do Internacional para tentar livrar o clube do inédito rebaixamento em 2016, mas não foi possível. O treinador ficou à beira do gramado por apenas três partidas, com uma vitória, um empate e uma derrota com o clube de Porto Alegre. Uma passagem rápida e que não salvou o Colorado da queda.

4. Argel Fuchs - CSA

Argel Técnico CSA Demissão
Argel Fuchs durou apenas 18 dias no cargo de treinador do CSA / Miguel Schincariol/GettyImages

Argel Fuchs durou apenas 18 dias no cargo do CSA, que acabou sendo rebaixado nas rodadas seguintes. Além da pressão da torcida, que já não tinha gostado da contratação do treinador, os resultados dentro de campo fizeram muita diferença para analisar o trabalho do técnico, que foi demitido em menos de três semanas.

5. Roth - Vasco

Celso Roth Técnico Vasco Demissão
Vasco demitiu Celso Roth após 13 partidas no cargo / Lucas Uebel/GettyImages

O retrospecto de Celso Roth no Vasco foi péssimo. Em 13 partidas disputadas, a equipe obteve três vitórias, um empate e sete derrotas, amargando a última colocação do Campeonato Brasileiro. Das três vitórias alcançadas pelo treinador, duas foram diante do América-RN, pela Copa do Brasil.

6. Falcão - Internacional

Internacional Paulo Roberto Falcão Técnico
Colorado demitiu Falcão após cinco jogos sem vitória / JEFFERSON BERNARDES/GettyImages

A terceira passagem de Falcão no comando do Internacional foi longe de ser uma das melhores. O clube demitiu o treinador logo após o quinto jogo da equipe sob sua supervisão. O Inter acumulou dois empates e três derrotas, algo inimaginável pela grandeza do Colorado.

7. Rodrigo Santana - Avaí

Rodrigo Santana Técnico Avaí
Ele dirigiu a equipe só em cinco jogos / Bruna Prado/GettyImages

O treinador ex-Atlético-MG teve uma grande oportunidade no Avaí para colocar seus conhecimentos sobre futebol em prática, mas parece que não teve muito tempo para deixá-los em campo. Foram apenas cinco jogos disputados, com duas vitórias, dois empates e uma derrota na bagagem. Ele deixou a equipe com um aproveitamento de 46,6%.

facebooktwitterreddit