7 jogadores que são geniais em clubes e comuns em suas seleções

Lucas Humberto
Sergio Agüero, Xherdan Shaqiri, Gabigol e mais: confira sete jogadores que são geniais em cubes e comuns em suas seleções.
Sergio Agüero, Xherdan Shaqiri, Gabigol e mais: confira sete jogadores que são geniais em cubes e comuns em suas seleções.
facebooktwitterreddit

Em geral, ser destaque no clube é um dos principais requisitos para integrar o seleto grupo dos jogadores que irão defender seus respectivos países. Com isso, sempre há grande expectativa em cima de nomes diferenciados na temporada de torneios nacionais. Por exemplo, quem não imaginou que Kylian Mbappé
iria golear na Eurocopa, depois de anotar 42 tentos defendendo as cores do Paris Saint-Germain? O francês acabou se despedindo da competição nas oitavas de final, não foi às redes e ainda errou o pênalti decisivo.

O caso do camisa 10 dos Bleus serve apenas para contextualizar. Afinal, ninguém duvida do poderio do atacante depois do Mundial de 2018, certo? Contudo, há alguns atletas que conseguem destaque absoluto nos seus times, mas são apenas comuns na seleção. Abaixo, citamos alguns.

1. Sergio Agüero (Argentina)

Sergio Agüero Argentina Copa América Manchester City
Sempre foi esperado muito do centroavante na seleção, mas os retornos foram poucos / Rogerio Florentino/Getty Images

Maior artilheiro da história do Manchester City, Agüero sempre foi um goleador nato na Premier League - campeonato nacional considerado o mais difícil do mundo. No entanto, apesar de alguns belos gols vez ou outra pela seleção argentina, nunca conseguiu se destacar da mesma forma. A célebre intenção dos torcedores de vê-lo formando uma poderosa dupla de ataque com Messi acabou não se tornando realidade.

2. Olivier Giroud (França)

Olivier Giroud França Chelsea Arsenal Premier League Eurocopa
Giroud consegue ser mais efetivo nos clubes / FRANCK FIFE/Getty Images

O francês construiu parte da sua carreira em dois dos maiores clubes do mundo: Arsenal e Chelsea. Agora, aparece na mira do Milan, outro gigante. Apesar do status de cobiçado, o centroavante é mero coadjuvante na seleção francesa e conseguiu alguns 'feitos' marcantes, como terminar o Mundial de 2018 sem um mísero gol.

3. Gabigol (Brasil)

Gabriel Barbosa  Gabigol Brasil Copa América
Ainda não vimos o Gabigol do Flamengo na seleção / Pedro Vilela/Getty Images

Goleador, batedor oficial de pênalti, quebrador de recordes... Gabigol caminha a passos largos para marcar toda uma geração de torcedores do Flamengo. Por outro lado, vestindo a Amarelinha ainda não testemunhamos aquele jogador imparável capaz de virar um jogo da Libertadores nos minutos finais.

4. Marco Verratti (Itália)

Marco Verratti Itália Azzurra Eurocopa
Verratti ganhou certa concorrência na Azzurra / Claudio Villa/Getty Images

Tido como um dos substitutos naturais de Andrea Pirlo, Verratti ainda não conseguiu chegar nem perto desse status. Apesar de ser titular absoluto no PSG e, em condições normais também na Azzurra, o meio-campista encontrou certa concorrência na seleção italiana. O desempenho do jogador no clube também não se compara...

5. Lautaro Martínez (Argentina)

Inter de Milão Lautaro Martínez Argentina Copa América
Martínez até anotou na Copa América, mas ainda está longe de ter o mesmo desempenho da Inter de Milão / DOUGLAS MAGNO/Getty Images

Depois da temporada praticamente impecável na Inter de Milão, esperávamos que, finalmente, alguém conseguisse dividir a responsabilidade do ataque da seleção argentina com Messi. Ledo engano. Defendendo as cores do time nacional, Martínez parece, no máximo, um jogador esforçado, muito aquém daquele visto na campanha de clubes...

6. Paulo Dybala (Argentina)

Paulo Dybala Argentina Juventus Copa América
Afastamento de Dybala do time nacional possui muitas explicações / Nicolò Campo/Getty Images

Camisa 10 da Juventus, Dybala foi imprescindível nas conquistas recentes da Velha Senhora. Apesar do status de absoluto em um dos maiores times do futebol mundial, o meia-atacante não conseguiu se destacar no time nacional. Muitos motivos podem ter causado esse 'afastamento', como a dificuldade de encontrar uma posição para jogar com Messi ou até algumas declarações polêmicas. De qualquer forma, o argentino nunca conseguiu repetir a mesma performance dos clubes.

7. Xherdan Shaqiri (Suíça)

Xherdan Shaqiri, Paul Pogba Suíça Eurocopa
Shaqiri em ação pela Suíça / Marcio Machado/Getty Images

Impossível não ligar o nome ao golaço no Mundial de 2018, certo? Contudo, apesar de alguns lances isolados, Shaqiri possui muito mais regularidade nos clubes que defende, seja quando utilizado como titular absoluto ou mesmo uma espécie de 'reserva de luxo'.

facebooktwitterreddit