​Que Santos e Boca Juniors já decidiram Libertadores da América, todo mundo sabe. Em 1963, com Pelé e Coutinho calando a Bombonera, os brasileiros levaram a melhor. Quarenta anos depois, no Morumbi, foi a vez de os argentinos darem o troco. Mas o que poucos têm conhecimento é de que um goleiro xeneize já disputou partidas vestindo a camisa do Peixe.



Como relembra o ​blog Patadas y Gambetas, em 1988 o Santos se despediu do histórico arqueiro Rodolfo Rodríguez. Já o Boca fez o mesmo com o também ídolo Loco Gatti, dono da posição durante 12 anos. No mês de abril daquela temporada, o arqueiro do time argentino teve a ideia de prender seus (longos) cabelos com uma bandana rosa. Com o objetivo de combinar o apetrecho com o uniforme, pediu para Rodríguez, seu amigo, uma camisa do Santos, prateada e rosa. E assim ele entrou em campo em, ao menos, três oportunidades.



Gatti sempre se caracterizou pela excentricidade. Chegou, por exemplo, a abrir mão do número 1 ou 12 (tradicionais para goleiros) para utilizar o zero. Além disso, seu trabalho de aquecimento incluía sessão de boladas na cara e, também, nos testículos. Agora, imaginar que um goleiro de um clube argentino se utilizaria do uniforme de um rival brasileiro, é totalmente fora da realidade. Mas aconteceu.


Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.


Para mais notícias do Santos, clique ​aqui.


Foto: Twitter / Reprodução