​A pandemia de coronavírus, com a consequente paralisação do calendário do futebol brasileiro, interfere diretamente no futuro do clubes. Sem receitas durante um período que, até o momento, não tem data para acabar, o pagamento dos salários, naturalmente, ficou comprometido. E isso gerou, também, uma mobilização por parte dos principais afetados: os atletas.


Gabriel Barbosa,Pedro Geromel


Como destaca a coluna ​De Primeira, representantes dos principais times do país estão discutindo o tema através de um grupo de WhatsApp. Todos os jogadores são considerados 'administradores', e o fórum conta, ainda, com a presença de um integrante da Federação Nacional dos Atletas Profissionais e de alguns nomes de equipes da Série B e de clubes de menor expressão.


Felipe Melo


Em um primeiro momento, os atletas de PalmeirasFlamengo e ​Grêmio, que vinham com os salários em dia, foram os que se mostraram mais abertos a concordar com uma redução dos ganhos. No Tricolor, inclusive, já houve um acordo para a postergação do pagamento dos direitos de imagem dos próximos quatro meses. Em compensação, em equipes como o ​Atlético-MG, houve um corte nos ganhos decidido sem a opinião dos jogadores. Já no São Paulo, o elenco não topou a redução de 50% durante a crise. 


Quer saber como se previnir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.