Nesta terça-feira (31), ​Flamengo divulgou o seu balanço financeiro relativo à temporada passada e aproveitou o documento para dar o parecer da equipe sobre o atual cenário, com o futebol suspenso por conta do novo coronavírus e o eventual impacto nas finanças do clube. O relatório foi auditado pela Ernest & Young, gigante do setor, que deu sinal positivo.


Conforme informações do ​GloboEsporte.com, o rubro-negro bateu seu recorde de receita bruta no ano passado ao atingir a marca dos R$ 950 milhões e ter um superávit de R$ 62 milhões. Os cariocas também fizeram um ‘teste de estresse’ e concluíram que os efeitos financeiros do COVID-19 podem ser diluídos no decorrer do ano.

Diego,Gabriel Barbosa

A conclusão é de que os impactos financeiros são absorvíveis e não representam risco de continuidade nas operações. Acredita-se que a situação é transitória e que as receitas do clube, com exceção de bilheteria não sofrerão alterações significativas neste período, podendo ser compensados ainda ao longo do ano”, destaca texto do balanço financeiro.


Tópico 2019 (em milhões de R$) 2018 (em milhões de R$)
Receita operacional bruta 950 543
Despesa operacional 666 376
Investimento 196 146
Patrimônio líquido 128 65
Endividamento líquido operacional 338 287


Os dados mostram um aumento significativo na entrada e saída de dinheiro do clube, impulsionada pela venda de jogadores, como Lucas Paquetá (R$ 150 mi), Léo Duarte (R$ 41,8 mi) e Jean Lucas (R$ 34,8 mi). E, também, pelos números estratosféricos da receita por bilheteria: R$ 109 milhões em 2019, tendo ‘líquido’ R$ 48 milhões. O programa sócio-torcedor, com R$ 61 milhões, também impactou positivamente.

CR Flamengo and Al Hilal SFC Semi-Finals Match - FIFA Club World Cup Qatar 2019

Consolidado, o Flamengo não tem mais ‘dívidas absurdas’ para pagar e pode movimentar o superávit de forma mais atrativa ou em “investimentos”, como o clube chama. Em 2019, por exemplo, o rubro-negro gastou 92% dos R$ 196 milhões investidos na compra de jogadores– o restante da quantia veio da venda de atletas –, sendo que o clube investiu R$ 249 milhões em contratações(R$ 149 mi ainda serão pagos).

Vale pontuar que o balanço considera uma sequência de fatores que, não necessariamente, ocorreram em 2019. O Flamengo, por exemplo, incluiu os valores de negociações da atual temporada, como a contratação de Gabigol por R$ 76,6 milhões, de Michael por R$ 33,9 milhões e de Léo Pereira por R$ 30,1 milhões.