​Sem bola rolando devido ao surto de coronavírus, alguns clubes do futebol brasileiro decidiram antecipar as férias dos seus funcionários para economizar no caixa. É o caso do ​Atlético-MG. Empregados de setores administrativos também vão ter suas atividades paralisadas por, pelo menos, 20 dias, apurou o ​UOL.


FBL-BRA-MINEIRO-TRAINING-SAMPAOLI

A diretoria do clube mineiro já havia liberado os jogadores das atividades. Outros funcionários trabalham em casa, em esquema de home office. O jurídico também está trabalhando remotamente. Somente as funções mais estratégicas seguem normal.


Ainda não se sabe quanto isso vai gerar de economia para o clube, mas acredita-se que será possível contar com a capacidade máxima dos setores em ocasiões mais importantes e essenciais


Os gastos com pessoas que não estão envolvidas diretamente com o futebol será de R$ 13,3 milhões, aproximadamente, em 2020. Esse valor está previsto na folha do clube para o ano, 10% a menos que em 2019.

Mesmo com as férias coletivas de vários setores, o departamento de futebol segue trabalhando nos bastidores, após a chegada de Alexandre Mattos. O novo diretor mantém conversas com Sampaoli em busca de nomes para compor o elenco. A expectativa é de que pelo menos cinco nomes sejam contratados para o restando da temporada - alguns devem ser anunciados nos próximos dias.