​Longo prazo: expressão que muito cartola usa em campanha presidencial ou ao apresentar um novo treinador, mas que pouquíssimos realmente cumprem no futebol brasileiro. Prova disso é que estamos em março e a ​Série A 2020 já teve seis trocas de comando: Atlético-MG, Cruzeiro, Vasco, Botafogo, Ceará e Sport mudaram de treinador nesse início de ano.

FBL-BRA-MINEIRO-TRAINING-SAMPAOLI

Um levantamento detalhado realizado pelo ​Globoesporte aponta o Grêmio como clube com menos trocas de comando desde 2003, início da 'era dos pontos corridos'. A fonte levou em conta os dados/estatísticas de 28 clubes* que estão/estiveram na elite nacional neste meio-tempo. Até o ano passado, a liderança absoluta era do ​Cruzeiro mas, desde a saída de Mano Menezes, o time mineiro emplacou nada menos que quatro trocas: Rogério Ceni, Abel Braga, Adilson Batista e Enderson Moreira.


Confira o top-5 de clubes com menos trocas de treinadores:

​ClubeNúmero de trocas (desde 2003)​Treinador mais longevo
​1) Grêmio​31​Renato Gaúcho (desde 09/2016)
​2) Cruzeiro​32​Mano Menezes (07/2016 a 08/2019)
​3) Corinthians​32​Tite (10/2010 a 12/2013)
​4) Santos​35​Muricy Ramalho (04/2011 a 05/2013)
​5) Internacional​36​Odair Hellmann (11/2017 a 10/2019)
FBL-LIBERTADORES-CRUZEIRO-BOCA

*Clubes considerados no levantamento: América-MG, Atlético-MG, Athletico-PR, Avaí, Bahia, Botafogo, Ceará, Chapecoense, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Grêmio, Internacional, Náutico, Palmeiras, Paraná, Ponte Preta, Santa Cruz, Santos, São Paulo, Sport, Vasco e Vitória