Pressão na Vila! Na tarde do último sábado (22), o ​Santos perdeu para o Ituano por 2 a 0, no Estádio Novelli Júnior, e viu a pressão sobre o treinador Jesualdo Ferreira aumentar. Líder do Grupo A, o Peixe tem conseguido ‘resultados’, mas a falta de intensidade e a dificuldade para criar no setor ofensivo geram críticas e cobranças ao português.


Em entrevista coletiva após derrota para o rubro-negro, Jesualdo falou que é comum o alto nível de exigência em grandes clubes e que esse fator não deve prejudicar a equipe praiana em seus próximos compromissos. A informação é do ​UOL.

Jesualdo Ferreira

“Eu vejo essa cobrança em qualquer lugar. Vi no ​Corinthians, no ​São Paulo, teve no Palmeiras e agora acabou. É normal e não me preocupa, essa é a verdade. Essa questão me preocupa mais quando é feita em cima dos meus atletas, não quando é em cima de mim. Acho que é natural”, declarou.


O treinador acrescentou que o Santos teve ‘azar’ no confronto, mas que é preciso ter paciência. “Não tivemos a felicidade de alguma coisa boa acontecer para mudar o rumo do jogo e assim estabelecer essa confiança. Apesar de tudo, fizemos o melhor. Sei que a cobrança é alta e eu e os torcedores queremos muito. Mas o comportamento das grandes equipes nem sempre é o mesmo".

Jesualdo Ferreira ainda falou que é normal a oscilação no time e que houve uma reunião entre o treinador e elenco para “amarrar” a ideia. “Toda a equipe tem momentos positivos e negativos, ainda mais em construção como é o momento atual. A responsabilidade é sempre do treinador. Eles interpretam o que eu quero e falam que são capazes de fazer. Tivemos uma conversa muito boa para garantir o entendimento da proposta”.


Por fim, o português aproveitou a oportunidade para chamar os torcedores para o clássico do próximo sábado (29), no Pacaembu: “Vamos jogar em São Paulo, temos muitos torcedores. Espero que o estádio esteja cheio, nos apoiando e incentivando para um jogo diferente do que aconteceu hoje. Acho que é bom que venha o ​Palmeiras agora”, completou.