​O ​Vasco da Gama é um dos clubes do seleto grupo de gigantes do Brasil que menos se reforçou até aqui em 2020. Somente o centroavante Germán Cano foi contratado para o plantel hoje dirigido por Abel Braga, que já deixou claro ao presidente Alexandre Campello a necessidade de mais jogadores de qualidade. Ainda há setores na equipe que precisam de reposição com certa urgência - a zaga é uma delas, principalmente após a saída de Oswaldo Henríquez.


A esperança do diretor-executivo de futebol André Mazzuco é da contratação de Dedé, bem lembrado em São Januário por sua passagem entre 2009 e 2013. Hoje, o xerifão de 31 anos está de saída do Cruzeiro após recusar um salário menor do que o do ano passado - cerca de R$ 700 mil mensais - e seus empresários estão cuidando do destino do jogador. O Vasco formalizou uma proposta oficial há algumas semanas, porém, com problemas financeiros, o clube oferece, no máximo, R$ 200 mil.

Com a situação de Dedé complicada, Mazzuco já começa a observar alternativas mais em conta no mercado brasileiro. Nossa reportagem apurou em parceria com o ​perfil "Detetives Vascaínos", que traz informações de São Januário, que Emerson Santos, atualmente na reserva de Vanderlei Luxemburgo no Palmeiras, voltou à pauta. O grande desafio da diretoria cruz-maltina será convencer o "Professor" a liberar o atleta. 


Aos 24 anos, Emerson tem contrato na Academia de Futebol até dezembro de 2022, porém ainda não estreou oficialmente pelo Palmeiras no Paulistão. Nesta quarta-feira (29), em goleada por 4 a 0 sobre o Oeste, o defensor permaneceu no banco de reservas. Na temporada passada, acabou emprestado para o Internacional, porém Luxa, em sua reformulação do elenco alviverde, optou por mantê-lo no seu plantel. Abel conhece o atleta desde que comandava o Fluminense - enquanto o zagueiro defendia a camisa do Botafogo, até 2017.