Vasco da Gama, não é segredo, para ninguém, passa por sérias dificuldades financeiras, tanto que mal conseguiu se reforças para o início da temporada de 2020. O clube, por conta da crise administrativa, convive com salários atrasados e, naturalmente, com a zoação de rivais por conta do atual momento. E isso incomoda, como deixou o claro o experiente zagueiro Leandro Castán em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira.




Segundo o jogador, o grupo honra ao máximo a história cruz-maltina. Porém, o que vem de fora acaba se tornando uma falta de respeito com a história vascaína. "Todo mundo hoje pode zoar o Vasco, é muito fácil querer zoar o Vasco. Mas o clube tem muita tradição, e isso tem que acabar. Me incomoda. Podemos não ser o melhor time do mundo, entrar para ganhar títulos, mas vamos sempre honrar essa camisa", disse.



Castán também não se esquivou de falar sobre as dificuldades em receber o que foi acordado em contrato. Na visão do defensor, a direção sabe da sua responsabilidade, e os atletas, com a consciência tranquila e seguindo o trabalho, devem esperar as coisas acontecerem. "Quando alguém vem me falar alguma data (prazo), prefiro nem escutar. Sigo treinando e fazendo a minha obrigação no dia a dia, aguardando que a situação se regularize. É penhora para cá, penhora para lá, então prefiro jogar futebol. Uma hora ou outra esse dinheiro vai entrar", concluiu. 



Depois de conquistar apenas um ponto nas duas primeiras rodadas da Taça Guanabara (empate com o Bangu e derrota para o Flamengo), o Vasco volta a campo neste sábado (18h), fora de casa, para enfrentar o Boavista. No momento, o time ocupa a penúltima colocação do Grupo B, que tem o Volta Redonda em primeiro com 100% de aproveitamento, ou seja, seis pontos.


Para mais notícias do Vasco da Gama, clique ​aqui.​​