A Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2020 conhecerá o seu campeão neste sábado. A partir das 10h, no Pacaembu, ​Grêmio e ​Internacional fazem uma decisão inédita, com sotaque gaúcho. Porém, não é apenas dos dois maiores clubes do Rio Grande do Sul que vêm os destaques da competição. Muitos garotos brilharam nos gramados nos últimos dias e, por isso, listamos dez dos principais nomes da competição com base nos times que alcançaram, no mínimo, as quartas de final do torneio de base mais importante do Brasil.




Praxedes (Inter)

O meia deve passar a integrar o grupo principal tão logo termine a Copinha. Fará 18 anos no dia 8 de fevereiro e se destaca pela boa capacidade de passe.


Foto: Arquivo Pessoal



Cesinha (Inter)

Meio-campista com jeito de artilheiro, o jogador de 19 anos é aquele armador clássico, mas também conquistou espaço pelo poder de finalização.


Foto: Inter / Divulgação



Elias (Grêmio)

Elias de Paula,Alison Calegari

Aos 18 anos, o atacante é o artilheiro tricolor na Copinha. Com ele, não tem bola perdida. Será o goleador que a equipe profissional tanto procura?



Diego Rosa (Grêmio)

Ele tem apenas 17 anos, mas muitos acreditam que já esteja pronto para integrar o time de Renato Portaluppi. É mais um volante com qualidade que o time gaúcho revela.


Foto: Grêmio / Divulgação



Ruan Oliveira (Corinthians)

O camisa 10 dá dinâmica ao time. Trata-se de um atleta dedicado com e sem a bola. Aos 19 anos, tem uma bola parada qualificada.


Foto: Rodrigo Gazzanel / Ag. Corinthians / Divulgação



Xavier (Corinthians)

O volante apareceu bem na frente para marcar dois gols. Capitão da equipe, mesmo sendo um jogador mais de marcação, participa do jogo com passes e lançamentos. Tem 19 anos.


Foto: Rodrigo Gazzanel / Agência Corinthians / Divulgação



Galeano (São Paulo)

O atacante paraguaio, de 19 anos, fez cinco gols. Ou seja, se caracteriza por uma boa finalização e poder de decisão.


Foto: Rubens Chiri / São Paulo / Divulgação



Gabriel Falcão (São Paulo)

Sua entrada no meio-campo deu mais dinâmica ao time. Aos 19 anos, o volante parece saber fazer bem tanto as funções defensivas quanto ofensivas.



Miranda (Vasco da Gama)


O zagueiro, que ajudou o Vasco a chegar entre os oito melhores da competição, já foi inclusive titular no clássico contra o Flamengo, entre os profissionais, pela Taça Guanabara. Aos 20 anos, tem futuro.


Foto: Gregorio Jr / Vasco / Divulgação



Jajá (Athletico-PR)


O atacante tem o futebol no seu DNA, afinal, é filho do ex-atacante de mesmo nome e que jogou no rival Coritiba. Aos 18 anos, mostrou faro de artilheiro.


Foto: Cahuê Miranda / Athletico-PR / Divulgação