Há poucos dias, quando o ​Grêmio havia anunciado apenas as contratações de Victor Ferraz e Lucas Silva, disse que o clube estava fazendo uma janela bastante tímida, bem longe de suas necessidades. Pois agora, após as confirmações de Vanderlei, Orejuela e Caio Henrique, o cenário muda um pouco de figura. Dá para se dizer, de antemão, que o Tricolor formou um grupo de jogadores, ao menos para o sistema defensivo, de dar inveja.




Vamos aos fatos: o time precisava, com urgência, de um goleiro. Trouxe um nome que chega para ser titular com folga a partir do momento em que tiver condições de entrar em campo. O quarteto de zagueiros é o mesmo da temporada passada, com Geromel e Kannemann formando a dupla principal - David Braz e Paulo Miranda seguem como boas alternativas de banco. 


Jorge Carrascal,Luis Orejuela


Agora, os lados do campo têm um ganho incalculável. Na direita, o experiente Victor Ferraz e o jovem Orejuela são atletas de carac​terísticas diferentes - um mais ofensivo, outro mais marcador - que dão ao técnico Renato Portaluppi alternativas de confiança. Em 2019, por exemplo, depois da lesão de Leonardo Gomes, Léo Moura não aguentou uma sequência importante de partidas, e Rafael Galhardo comprometeu a cada vez que esteve em campo. Na esquerda, esta situação se repete. Cortez, já rodado e com posicionamento defensivo invejável, ganha a companhia do talentoso Caio Henrique (antes era Juninho Capixaba, que não deu conta do recado), um garoto que se destacou com a camisa do Fluminense com boas chegadas à frente. 



Agora, falta ajeitar a frente. Com as saídas de Luan, Felipe Vizeu e Diego Tardelli, há buracos importantes dentro do plantel que precisam ser tapados urgentemente. E, se as reposições forem no mesmo nível das anteriores, aí sim a esperança cresce a tal ponto de recolocar o Grêmio entre os postulantes aos grandes títulos de 2020.